publicidade

Navegue por
Roberto

Futebol

Final da Copa América no Maracanã, o templo sagrado do futebol

Compartilhe

Por Roberto Alves
06/07/2019 - 07h05 - Atualizada em: 06/07/2019 - 07h05
(Foto: Alex Ferro / CA2019)

O domingo sem futebol no Maracanã não é um domingo feliz, costuma dizer o carioca. O Brasil inteiro há muito tempo elegeu o Estádio Mário Filho como templo sagrado do futebol. É lá que a Seleção decide a Copa América contra o Peru. Então, passa a ser um domingo que se presume feliz, não só pelo espetáculo como pelo resultado final que não se imagina outro senão a vitória brasileira.

Cuidados especiais

Guerrero é o principal jogador peruano, mas está longe de ser comparado aos nossos melhores craques. Cueva é bom jogador. Flores e Carrillo, que entraram na equipe, serão mantidos pela boa produção. O técnico Gareca sabe como jogar contra o Brasil.

Despedida

Ao término de Brasil e Peru será desfeita a parceria Tite e Edu Gaspar, que começou no Corinthians. O dirigente assumirá cargo na executiva do Arsenal, da Inglaterra. Juninho Paulista é o nome mais cotado para o seu lugar e que agrada ao técnico. Sylvinho e Fernando Lázaro, da comissão da Seleção, também estão saindo para o Lyon, da França.

O jogo

O Brasil é mais time. Não vai encontrar o mesmo Peru que goleou na fase classificatória. Terá que jogar muito, como fez com a Argentina. Aliás, Argentina e Chile jogam no sábado decidindo o terceiro lugar. Um bom aperitivo.

Ainda a Recopa

Numa decisão sempre se extrai algo mais fora do jogo. Chamou a atenção:

1 – Uma discussão do Hemerson Maria, no intervalo do jogo, com o diretor de arbitragem da FCF, Marco Antônio Martins.

2 – O bom futebol de Jefferson Renan e Airton, do Brusque, e Victor Guilherme, do Figueirense.

3 – O profissionalismo dos jogadores do Figueirense, que não 

foram para a concentração e deram a resposta em campo, mesmo 

com salários atrasados.

4 – A volta que Hemerson Maria deu para falar dos salários e da falta de concentração. Mas confirmou que foram pagos apenas 35% do mês de maio. Não é fake, hein?

5 – A elegância dos jogadores do Brusque, ficando em campo e aplaudindo o Figueirense no recebimento da taça e das medalhas.

6 – A postura de Waguinho Dias, o seu time, a entrevista. Um exemplo de profissional.

7 – Os jogadores do Figueirense foram muito mais profissionais do que alguns dirigentes do clube, que mostram cada vez mais um amadorismo perigoso e varzeano. O Figueirense Futebol Clube é muito grande. Pena que alguns não sabem disso.

Leia também: A Recopa Catarinense e a abertura do segundo semestre

Resgate

O jornalista Marcos Heise está escrevendo a história dos 25 anos dos Jogos Abertos em Florianópolis. De lá para cá, nunca mais a capital sediou o evento.

Almoço

Um encontro entre notáveis do esporte da capital será realizado na residência de Jaime Andrade Ramos, o Capitão, que na época era o presidente da CCO. Uma revista será lançada para contar a história. Boa!

Bom programa

No Estádio Renato Silveira, em Palhoça, o Guarani recebe o Inter de Lages às 10h deste domingo, em jogo válido pela Série B do Estadual.

Ao vivo

A partir das 12h de domingo, na tela da NSC TV, poderemos ver Estados Unidos e Holanda decidindo o título da Copa do Mundo Feminina. Jogo imperdível!

Evolução?

Hemerson Maria falou em evolução técnica no Figueirense. Não vi. Andrigo jogou pouco tempo e não deu pra avaliar.

Na conta

O Avaí já pagou os salários dos jogadores e de todos os funcionários referente ao mês de junho. Portanto, antes do quinto dia útil. Mês com menos de 30 dias na Ressacada.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação