nsc
    nsc

    ESPORTES

    "O Avaí é mais do que imaginava", diz Ralf no Debate Diário desta terça-feira

    Compartilhe

    Roberto
    Por Roberto Alves
    21/07/2020 - 14h36 - Atualizada em: 21/07/2020 - 19h36

    ralf
    Ralf.
    (Foto: )

    Um volante campeão do mundo foi o entrevistado desta terça-feira (21), no Debate Diário da CBN. Ralf começou sua carreira profissional em Taboão da Serra e rodou pelo Brasil até chegar em 2010 no Corinthians, onde conquistou inúmeros títulos, inclusive os de campeão da Libertadores e do Mundial de clubes em 2012.

    Teve ainda uma passagem pela China que o jogador considera proveitosa. Sua vinda para o Avaí teve origem na dificuldade de entendimento com o técnico Thiago Nunes. Ralf já jogou na Ressacada algumas vezes contra o Avaí. Agora, atleta do clube, se impressionou com a estrutura.

    Rasgou elogios ao trabalho da diretoria que tem feito de tudo para manter pagamentos em dia durante a pandemia. Uma declaração que chamou atenção do debate, foi relacionada ao jogo com a Chapecoense.

    Ralf mostrou toda a sua disposição e garra quando disse: 'Infelizmente essa pandemia pareou o campeonato. Nossa vontade era jogar com a Chapecoense já no dia seguinte após a derrota por 2 a 0 no primeiro jogo."

    Isso revela vontade e muito comprometimento com o time. O volante entende que é possível mudar a história do jogo revertendo o resultado de Chapecó. Entende que o time é muito bom, já conhecia vários jogadores que atuaram com ele e se disse a vontade com o técnico Rodrigo Santana, com quem tem conversado muito.

    Depois de falar sobre sua passagem pelo Corinthians com muitos elogios especialmente à torcida, títulos e ao mundial de clubes no Japão, Ralf se disse impressionado com o Avaí acrescentando: "É muito mais do que eu imaginava."

    > Jogo entre Figueirense e Juventus pelo Catarinense tem novo horário

    Será?

    Informações da imprensa de Tubarão dão conta de que o jogo Tubarão e Concórdia marcado para segunda-feira a tarde, no Domingos Silveira Gonzales, não será realizado. Prefeitura continua irredutivel quanto à realização de jogos de futebol por causa da pandemia. Os clubes também não tem muito interesse em que o jogo seja realizado. Sonham com uma virada de mesa que cancele o rebaixamento.

    Memória 

    memória
    (Foto: )

    Este é o time da diretoria do Joinville em 1985 em dia de jogo com a turma da imprensa. Foi em 1985, no Ernestão. Destaque para um convidado especial da diretoria.

    Em pé da esquerda para a direita: Carlos Alberto Virmond (diretor), Nilson Delai, Esperidião Amin (Governador), Madiewl Granjeiro, Dr. Peron (dentista do clube), Rolf Koentopp (diretor), Ronaldo Welter (empresário) e Joel Mendes, ex-atleta.

    Agachados: Valdomiro Schutzler (presidente), Osvaldo Aguiar (empresário), professor Beethowen, Domingues (preparador físico) João Gaspar Rosa (vice prefeito) Helio dos Anjos (técnico) Claudio Bley do Nascimento médico.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas