nsc
    nsc

    COLOMBO SALLES

    O melhor prefeito

    Compartilhe

    Roberto
    Por Roberto Alves
    07/03/2020 - 08h00
    ponte
    Ponte Colombo Salles. (Foto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense)

    Há quem diga até hoje que Colombo Salles foi o melhor prefeito para Florianópolis, com obras incríveis para a época. Além da ponte, o aterro da Baía Sul e grande parte da Avenida Beira-Mar Norte.

    Antes de deixar o governo, o levamos a um clássico, dia 1º de março, o primeiro transmitido em cores pela TV Cultura na época. Portões abertos. Ele relutou, não queria ir, achando que seria vaiado por conta do regime da época. Foi aplaudido de pé por alguns minutos.

    Eu, governador

    Acabei me tornando grande amigo de Colombo Salles. Com ele, e no carro oficial do palácio, fui receber o título de cidadão de Santo Amaro da Imperatriz. Inadvertidamente, sentei do lado onde protocolarmente fica o governador. Na chegada, um oficial da PM abre a porta onde deveria estar o homem e salto. A solenidade:

    - Tenente Cardoso, PM, pedindo permissão para iniciar a solenidade.

    E eu:

    - Permissão concedida.

    Colombo, no carro, sorria. Enfim, Colombo salta, vai até mim e diz:

    - Colombo Salles pedindo permissão para entrar no recinto.

    E eu:

    - Permissão concedida.

    TOQUE DO BOB

    > Quando o Conselho Técnico da FCF aprovou a fórmula de disputa do campeonato deste ano, por sugestão dos clubes, pensei: “Eles querem acabar com o Estadual”. Dez clubes classificando oito para uma etapa seguinte e caindo apenas um parece brincadeira.

    > Pior do que isso é aumentar para 12 o número de participantes em 2021. Não sei que argumentos encontraram para uma decisão dessas, que certamente trará mais prejuízos aos clubes com equipes sem condição de entrar em uma Série A do Estadual.

    > Acabei gostando da fórmula, ao entender que poderíamos ter emoção até na fase inicial de classificação. E assim está sendo. A disputa para fugir dos jogos do rebaixamento está grande, bem como a briga pelas quatro primeiras posições para ter vantagem.

    > As surpresas apareceram: Brusque, com uma campanha irrepreensível; Marcílio Dias buscando lugar de destaque que sempre ocupou em SC, e uma campanha inesperada do Juventus.

    > Como decepções, a Chapecoense sem vencer até agora. O Tubarão com o projeto naufragando pelas dificuldades financeiras. O Concórdia lutando para escapar.

    > O final de semana promete emoções redobradas dentro de uma competição cuja fórmula de disputa, criticada no início, aprovou quando colocada em prática.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas