nsc
    nsc

    Análise

    Permanência quase confirmada 

    Compartilhe

    Roberto
    Por Roberto Alves
    13/11/2019 - 14h17 - Atualizada em: 13/11/2019 - 14h48
    Figueirense vs Ponte Preta
    Foto: Wagner Souza/Futura Press/Folhapress

    Finalmente vimos um Figueirense comprometido com o resultado.

    A vitória diante da Ponte Preta foi bem construída, apesar de alguns momentos de dificuldade normais em um jogo tenso como foi.

    Mas o que precisa mudar no futebol?

    Não serve para todos os times, mas para a grande maioria: marcar um gol logo no início da partida e recuar. Cedo demais. Aconteceu com o Figueirense.

    Resultado: o adversário foi com tudo e o Figueirense abdicou de jogar para se defender. E quando isso acontece a tensão aumenta, os erros aparecem e o gol do adversário é questão de tempo.

    A vitória de terça-feira em Campinas quase confirma nossa previsão de que o Figueirense sairia do rebaixamento para confirmar presença na Série B de 2020. 

    O Vestiário

    O vestiário fez bem ao Figueirense. Num jogo de dificuldades visíveis, o intervalo e o vestiário são importantes.

    Pintado corrigiu o posicionamento, adiantou o time e simplesmente fez ver aos jogadores que a vitória era muito possível. Dependia do próprio time. E aconteceu.

    Um time que perseverou o segundo tempo inteiro, mostrou comprometimento, alterações que deram certo colocando um pouco mais de qualidade e a vitoria indiscutível. Resultado que tira o Figueirense da zona de rebaixamento, dá tranqüilidade, melhora o clima e volta a esperança do torcedor para uma situação definitiva já no próximo jogo de domingo contra o Cuiabá.

    Ainda falta

    Sem a zaga principal, amarelada no jogo de ontem em Campinas; sem o lateral direito e com o técnico dizendo em entrevista à CBN/Diario que tem gente pronta para entrar, o Figueirense volta a campo no domingo (17) às 18h30 contra o Cuiabá.

    O adversário está mais preocupado com a decisão da Copa Verde contra o Paysandu e terá, além do jogo desta quinta, viagem para a longínqua Belém, no norte do país.

    Muito provavelmente virá com time alternativo a Florianópolis.

    Não sabe

    Com o clima festivo e em ritmo de comemoração pela vitória, perguntei ao técnico Pintado se ele fica para o ano que vem.

    Disse que o contrato é até o fim do brasileiro. Claro que gostaria de continuar um trabalho com mais estrutura e sem o fantasma do rebaixamento, como aconteceu desde sua chegada. É cedo ainda.

    "Vamos tirar o Figueirense dessa situação para depois conversar, se for do interesse do clube", disse o técnico.

    O jogo

    Rafael Marques, Figueirense
    (Foto: )

    Justo analisar algumas atuações a partir do goleiro Pegorari, que mostrou mais uma vez porque é titular.

    Preocupação com a zaga, onde Alemão não vem jogando bem; complicando um pouco o bom entendimento que tinha com Ruan Renato. Conrado ganhou a lateral esquerda.

    Betinho é o maestro. Com ele em campo o Figueirense é outro time. Outra atuação excelente do meio-campista. Jeferson Renato voltou a atuar bem, mas uma palavra especial deve ser dedicada a Rafael Marques, em quem votei para melhor em campo.

    O comprometimento dele foi fantástico. A ajuda à recomposição, a briga pela posse de bola e a presença nos principais lances foram determinantes.

    As alterações foram fundamentais, Andrigo e Vitor Guilherme atuaram bem e acrescentaram no segundo tempo. Com eles nasceram os gols da vitória, com a colaboração de Felipe Matheus.

    Achei um Figueirense mais comprometido. E se assim fosse anteriormente, a situação não teria chegado ao ponto em que chegou.

    Leia as últimas notícias de Esporte​

    ​Assine o NSC Total para ter acesso ilimitado ao melhor conteúdo de Santa Catarina e aproveitar os descontos do Clube NSC. ​

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas