nsc
nsc

Futebol

Por que Tapetão?

Compartilhe

Roberto
Por Roberto Alves
15/05/2021 - 16h09
justica-desportiva-campeoanto-catarinense-2021
Histórias envolvendo as decisões da Justiça Desportiva no futebol brasileiro e de SC (Foto: Freepik)

A expressão é pejorativa. Algo que no futebol é ilegal e leva a decisão de um jogo para o tribunal. O tapetão foi criado e ficou famoso com o Fluminense, um dos clubes brasileiros mais envolvidos em situações diferentes. Foi em 1969, no Campeonato Carioca, após o centroavante Flávio ter sido expulso em um jogo contra o Vasco. Na calada da noite de um sábado para domingo o Fluminense recorreu da punição à Justiça Comum e conseguiu anular a suspensão automática do atleta.

> Receba notícias de Florianópolis e região em seu WhatsApp

Considerada uma jogada jurídica genial na época, o Fluminense entra em campo para decidir o título carioca e Flávio estava surpreendentemente escalado. Foi uma correria com questionamentos da imprensa e a pergunta era: “Será que o Fluminense não sabe que Flávio está suspenso?”. Moral da história. Flávio, que jogou sob uma decisão da Justiça comum, marcou o gol do título do Fluminense naquela oportunidade. E o Fluminense desmoralizou a suspensão automática após a expulsão de um atleta.

> Semana conturbada para o futebol catarinense

Daí para frente o tricolor carioca se envolveu em seis casos que passaram a ser chamados de “Tapetão” para identificar uma ilegalidade e a entrada de recurso no tribunal. O tricolor então entrou na justiça para proibir que fosse chamado de “Tapetense”, expressão popularizada em função do trabalho do departamento jurídico do Flu.

> Campeonato Catarinense 2021 está no momento Alfred Hitchcock

Em Santa Catarina já tivemos alguns casos que foram parar no chamado “Tapetão”. O mais famoso foi em 1977, quando a Chapecoense tinha um jogador suspenso chamado Cosme. Na decisão, ele jogou com o nome de Gerê e a Chape conquistou o título. O Avaí protestou, foi ao tribunal e perdeu. Sabe como? A expulsão de Cosme se deu num amistoso contra o Joaçaba e a Chape conseguiu provar que houve engano e o jogador não havia sido expulso. Foram para a súmula e o nome de Cosme não estava. Lá, constava a expulsão de um jogador chamado Gerê.

> Veja todas as colunas de Roberto Alves

Diferente do caso Hercílio Luz, em que houve interpretação equivocada do regulamento. Não parece ter havido tentativa de passar por cima do regulamento, mas houve o erro, segundo as decisões da Justiça. O torcedor gosta muito de usar a expressão quando o adversário ou rival reverte resultado no tribunal. Vem logo a afirmação: “Ganhou no tapetão”. Os prejudicados então levantam a tese de que o campeonato está contaminado, foi parar no tapetão, expressão que também não é simpática aos tribunais.

FALTOU COMPETÊNCIA

O que sobrou no primeiro jogo de Florianópolis faltou ao Figueirense na última quarta-feira, em Chapecó. Enfrentou bem a Chapecoense e tem de ser elogiado. Aproveitou a chance que teve em 50%. Não foi suficiente. O Figueirense deixou passar a oportunidade e o Tribunal de Justiça Desportiva agradece. O campeonato segue normalmente. A Chape melhorou o time com as alterações no time. Neste domingo, dia 16, tem jogo em Itajaí e o campeonato segue.

chapecoense-figueirense-quartas-de-final-volta-catarinense-2021
Jogadores da Chapecoense celebram um dos gols na vitória por 2 a 0 sobre o Figueirense
(Foto: )

NA ESPERA

Brusque e Avaí não podem reclamar da falta de tempo para treinar. Estão à vontade para aprimorar os esquemas e até promover modificações, se desejarem. Por um lado, estão descansando. Por outro, perdem um pouco da sequência e ritmo de jogo. Vantagens e desvantagens. Voltam ao campo no dia 19, bem tranquilos.

UFA...VAI TERMINAR

Diante de um calendário muito prejudicado já por conta da pandemia, o futebol catarinense ainda enfrenta decisões que foram parar nos tribunais, complicando ainda mais o final do Estadual. Datas foram revistas e remarcadas, paralisações, adiamentos, clubes parados esperando decisões nos tribunais. Enfim, com tudo isso vamos terminar no dia 26, uma quarta-feira, antes do início do Campeonato Brasileiro. Será mesmo?

JASC EM TIMBÓ

O presidente da Fundação Municipal de Esporte (FME) de Timbó, Marcio Elisio, oficializou na Fesporte o pedido formal para que o município do Vale do Itajaí seja a sede da etapa estadual da 60ª edição dos Jogos Abertos de SC. Os Jasc estão programados para ocorrer de 24 a 30 de novembro deste ano.

VISTORIA

Agora a solicitação será avaliada pela Fesporte com a visita técnica aos locais de competição para a aprovação. Timbó sediou a última edição do Jasc, em2019, juntamente com Pomerode e Indaial. Em 2020 não houve o evento por causa da pandemia.

FESPORTE

A chegada de Kelvin Soares ao órgão que comanda o calendário esportivo do Estado foi muito bem recebida. Bons propósitos, o esporte em primeiro lugar, projetos, identificação e a grande conquista, que foi a autorização do governo para a retomada do calendário.

GIRO TOTAL

> Como você classificaria o Estadual deste ano em nível de qualidade? Minha opinião: a fase de classificação foi fraca. O campeonato começou no mata-mata.

> Em quem votaríamos para escolher a revelação do Estadual? Convém esperar os jogos finais.

> E o Craque? Alguns candidatos a partir de Thiago Alagoano, pela importância ao Brusque. Perotti, o artilheiro da Chape, também é candidato.

> Danilo Rezini poderia ser lembrado para o dirigente que fez o futebol crescer em Brusque. Ganhou vários títulos nos últimos dois anos.

> Ramon Abatti Abel e Diego da Costa Cidral foram os dois destaques da arbitragem desde o ano passado.

> O Criciúma, pelo seu gigantismo, foi a decepção do campeonato por razões obvias.

 > E o técnico? Geralmente o campeão é o escolhido. Candidatos? Jerson Testoni, Humberto Louzer – que classificou a Chape em 1º lugar na fase de classificação –, Claudinei Oliveira, entre outros.

Leia também:

> Convocação da Seleção Brasileira: Calendário e Olimpíada atrasam trabalho para a Copa

> Faraco: TJD-SC deixou recado forte em julgamento que confirmou punição ao Hercílio Luz

Roberto Alves

Colunista

Roberto Alves

Referência por resgatar a memória do Esporte catarinense, fatos do dia a dia e pitorescos, misturando bom humor e seriedade na dose certa.

siga Roberto Alves

Roberto Alves

Colunista

Roberto Alves

Referência por resgatar a memória do Esporte catarinense, fatos do dia a dia e pitorescos, misturando bom humor e seriedade na dose certa.

siga Roberto Alves

Mais colunistas

    Mais colunistas