publicidade

Navegue por
Saavedra

Cidade

Cadastro da Habitação ganha média de 11 inscrições por semana em Joinville

Compartilhe

Por Saavedra
20/05/2019 - 06h20 - Atualizada em: 20/05/2019 - 08h05
(Foto: Salmo Duarte / A Notícia)
(Foto: Salmo Duarte / A Notícia)

Nos últimos 12 meses, o cadastro da fila da Secretaria de Habitação de Joinville ganhou uma média de 11 inscrições por semana. O período avaliado é entre maio de 2018 até a última sexta-feira. A média de novas inscrições em 2018 se mantém em 2019. A espera é por atendimento em moradia, desde casa, apartamento ou lote, entre outras possibilidades.

Atualmente, são 9,9 mil famílias com informações atualizadas, em cadastro aberto com dados iniciais desde 1999. Há ainda outros 7,6 mil cadastrados com informações desatualizadas, que só poderão vir a ser contemplados em caso de apresentação de novos documentos. A oferta para a habitação este ano é reduzida porque não há conjuntos residenciais de maior porte em construção.

O cadastro é aberto em Joinville para pessoas residentes há pelo menos três anos na cidade e com renda familiar de até seis salários mínimos. Na atual listagem, 96% dos inscritos têm renda familiar até três salários mínimos, a faixa com maior possibilidade de atendimento – ainda que, neste momento, há reduzida disponibilidade.

Estrada Timbé

Publicada em outubro, a portaria do Ministério do Turismo sobre o convênio de R$ 4,3 milhões para a pavimentação de trecho da Estrada Timbé, em Joinville, ainda não foi suficiente para a obra ter início. Nem a licitação foi lançada pela Prefeitura, encarregada de contratar o serviço para asfaltar a via entre Pirabeiraba e o Jardim Paraíso. 

Mais royalties

Após ter recebido R$ 32,7 milhões em royalties da Petrobras no ano passado (quase o dobro em relação a 2017, quando foram repassados R$ 17, 3 milhões), a Prefeitura de São Francisco do Sul está sendo beneficiada pela alta e agora já são R$ 8,3 milhões na participação, até abril.

É um resultado 5,5% acima do registrado no mesmo período do ano passado. O município tem monoboia para recebimento de petróleo na costa, sendo atravessado por dutos que transportam a matéria-prima até a refinaria de Araucária.

Outras cidades também recebem royalties na região, em quantias menores. Neste ano, Joinville ficou com R$ 1,9 milhão e Garuva, Itapoá, Balneário Barra do Sul e Araquari ganharam R$ 1,7 milhão. No ano passado, Joinville teve direito a R$ 7,2 milhões e as demais ficaram com R$ 6,8 milhões por prefeitura.

Inquérito do MP

A questão da exposição de animais à venda em pet shops, já tema de reuniões na Câmara de Vereadores e até questionamento judicial (pedido de liminar está em análise no Tribunal de Justiça), motivou abertura de inquérito civil na semana passada pelo Ministério Público após representação: o objetivo é saber se as novas regras de proibição de exibição externa e acomodação dos bichos estão sendo atendidas. A apuração é da 21ª Promotoria de Justiça. Há também queixas de empresários em relação à interpretação da lei alterada em novembro passado.

Novamente 

Em 2016, projeto com teor semelhante foi arquivado sem ter ido à votação por causa do término da legislatura. Agora, nesta semana, tem nova discussão na Câmara de Joinville sobre proposta para permitir o desembarque à noite idosos, mulheres e pessoas com deficiência fora dos pontos fixos do transporte coletivo.

Deixe seu comentário:

Jefferson Saavedra

Saavedra

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

jefferson.saavedra@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação