nsc
    nsc

    ÁREAS DO DETRANS

    Como antigas saibreiras viraram patrimônio de órgão de trânsito em Joinville

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    03/12/2019 - 20h27 - Atualizada em: 04/12/2019 - 15h26
    Departamento de Trânsito da Prefeitura detém as quatro propriedades desde os anos 1990
    (Foto: Salmo Duarte, Arquivo AN)

    Resultado de uma série de mudanças na Prefeitura de Joinville ao longo de décadas, o órgão de trânsito da cidade é hoje dono de cinco áreas e, em quatro delas, funcionaram saibreiras no passado. Os imóveis pertencentes ao Detrans estão localizados em Pirabeiraba (dois); Estrada do Sul, no Vila Nova; Jardim Paraíso e Boa Vista.

    As saibreiras fizeram parte do patrimônio da Companhia de Desenvolvimento de Joinville, a Codeville, criada por Pedro Ivo em 1974. Uma das funções era a participação em obras públicas. A produção de saibro não era novidade na Prefeitura: já havia pedreiras municipais, outras foram incorporadas depois, como a da Estrada Timbé, comprada em 1980 no primeiro mandato de Luiz Henrique – até hoje a matrícula está registrada em São Francisco do Sul, embora a área faça parte de região transferida para Joinville no início dos anos 90.

    Em 1997, os terrenos passaram para a Conurb, criada em substituição à Codeville. A nova companhia ampliou a presença na área do trânsito e, em 2012, foi substituída pelo Ittran, uma autarquia em vez de uma companhia de economia mista. O instituto duraria só dois anos, sendo extinto com a criação do Detrans, já no governo Udo.

    Nesse tempo todo, as quatro ex-saibreiras (há décadas desativadas) e uma área recebida em 1984 no Boa Vista foram acompanhando as mudanças. Como a Prefeitura de Joinville não se desfaz de imóveis – as últimas vendidas foram nos anos 90 – os antigas saibreiras vão permanecer com o Detrans, até que venha uma nova reforma administrativa.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas