nsc
    nsc

    Em Joinville, Defensoria busca informações sobre testagem e mortes por síndromes respiratórias

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    23/05/2020 - 09h50 - Atualizada em: 23/05/2020 - 09h56
    Meta da Secretaria de Saúde é de ampliação do uso dos testes rápidos (foto: Rogerio da Silva, Divulgação)
    Meta da Secretaria de Saúde é de ampliação do uso dos testes rápidos (foto: Rogerio da Silva, Divulgação)

    Em resposta a questionamentos da Defensoria Pública de Santa Catarina sobre as medidas de enfrentamento do coronavírus, a Secretaria de Saúde de Joinville reafirmou o planejamento de ampliar a testagem na cidade e garantiu que todos os óbitos ocorridos por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) nos últimos meses tiveram exames para detecção de coronavírus.

    O ofício da Defensoria Pública enviado a secretaria elencou perguntas sobre uma série de temas. Sobre atendimento hospitalar, a resposta foi de reserva de 69 de vagas de UTI para a covid-19 nas redes pública e privada e de 119 leitos de enfermaria. As duas modalidades estão em expansão e mais vagas serão abertas, dependendo do avanço da doença.

    Na testagem, atrasada em relação aos planos iniciais, a secretaria confirmou a disposição de testar 2,7 mil pessoas por semana a partir de junho, com uso de testes rápidos. Até hoje, foram perto de 1,5 mil testes realizados, com detecção de 365 casos de coronavírus.

    MORTES POR SÍNDROMES RESPIRATÓRIAS

    Na abordagem sobre os casos de SRAG, a secretaria informou a ocorrência de 50 mortes em Joinville neste ano por causa da síndrome. Apenas no caso ocorrido em janeiro, quando não havia registro de casos de coronavírus, não houve a realização do teste para covid-19. Ou seja, todos os demais foram testados. Casos confirmados foram incluídos nas estatísticas da pandemia.

    ​​​​​​​Em site especial, saiba tudo sobre coronavírus

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas