nsc
    nsc

    Mobilidade

    Meta de bancar até 50% da tarifa de transporte coletivo está longe de ser atingida em Joinville

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    22/07/2019 - 10h00

    O Plano de Mobilidade de Joinville tem como uma das metas subsidiar a tarifa do transporte coletivo em até 50% até 2025, mas não há nenhuma iniciativa nesse sentido – até porque o plano não é impositivo e esse tipo de documento é produzido principalmente para atender à obrigações legais do que propriamente para servir de diretriz de ações governamentais. Nem a redução do ISS foi adiante. A mudança na alíquota foi cogitada em janeiro quando caiu o forro do terminal  central como forma de compensar as empresas em caso de eventual retomada por elas da manutenção das estruturas. 

    Subsídio em Curitiba

    Para manter a tarifa em R$ 4,50 até fevereiro de 2020, pelo menos, a Prefeitura de Curitiba e o governo do Estado do Paraná vão repassar R$ 90 milhões para o transporte coletivo da Capital paranaense e região metropolitana. O município entra com R$ 50 milhões e o restante é com o Estado. Depois do congelamento de dois anos, a tarifa foi reajustada em fevereiro passado. Pagamento de subsídio às empresas não está em pauta em Joinville por causa da falta de dinheiro da Prefeitura.

    Infração na casa Krüger

    Depois da Estação da Memória, a antiga estação ferroviária, agora foi a vez da Casa Krüger ser alvo de auto de infração aplicado pelo Iphan por causa do estado de conservação. No telhado, há cupins e infiltrações. As fachadas e pisos estão deteriorados. O sistema de drenagem no entorno é considerado deficiente. A Casa Krüger foi fechada no final do ano passado para reformas, ainda não iniciadas. Há outros dois autos de infração anteriores sobre o estado de conservação da construção tombada pelo patrimônio histórico.

    Regional

    Depois da pane de maio passado com a antiga subestação, com impacto no fornecimento de energia por 35 horas, o Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, de Joinville, conseguiu colocar em operação a nova estação, cujas obras estavam paradas desde o ano passado e foram retomadas após o incidente. Na semana passada, os testes foram concluídos e nova subestação passou a atender ao hospital.

    Até caiu

    Tema de constante reclamação do vereador Ninfo König (PSB) — que não vê utilidade – as indicações caíram em 2019 na Câmara de Joinville. Ainda assim, foram 9,5 mil neste ano, até o recesso. No ano passado, no mesmo período, passaram de 13 mil. O número de indicações é exibido nas listas de “produtividade” dos vereadores, sempre sem citação de quantas foram atendidas.

    Saneamento

    Em um cenário “otimista”, a Águas de Joinville pretende investir R$ 131,4 milhões em 2019. Já em cenário “realista”, fica em R$ 96,2 milhões. Em qualquer uma das situações, a ampliação da rede de esgoto terá a maior fatia.

    Mathias

    Pela última atualização do sistema de acompanhamento de obras públicas da Caixa, a macrodrenagem custou até agora R$ 21,5 milhões.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas