O plantio de palmito disparou e já é a segunda maior cultura agrícola de Joinville, perdendo apenas para o arroz em área cultivada. Ainda em 2017, o palmito ficava em quinto, atrás também da banana, mandioca e cana-de-açúcar. Agora, a cultura teve ampliada a área plantada e chegou a 1.360 hectares, conforme mostra a pesquisa Produção Agrícola Municipal 2018, divulgada na semana passada pelo IBGE.

Continua depois da publicidade

São acompanhadas as principais culturas dos municípios. A série histórica do instituto mostra crescimento contínuo desde 2012, ano a ano, na área plantada de palmito em Joinville. No ano passado, foram produzidas 3,3 mil toneladas do alimento. O líder arroz tem 3.170 hectares cultivados no município.

As maiores possibilidades de venda do palmito pupunha estariam ajudando a atrair os produtores. Além da conserva tradicional, há vendas em forma de espaguete, para assar e em mix com outros produtos agrícolas. O congelamento e a venda in natura se tornaram alternativas mais presentes.

Queda no total

O crescimento na produção do palmito, no entanto, não foi suficiente para evitar a queda na extensão das áreas cultivadas em Joinville, pelo menos no sistema de acompanhamento do IBGE. A cana-de-açúcar foi a cultura com maior encolhimento entre 2017 e o ano passado. Também houve redução nas áreas plantadas da mandioca e da banana. No geral, entre as culturas analisadas, a área plantada caiu de 6,3 mil hectares para 5,7 mil hectares entre 2017 e 2018.

Quais ruas

Na sexta, o Ministério da Economia publicou mais portarias sobre o empréstimo de R$ 100 milhões do Banco do Brasil para a Prefeitura de Joinville. Dessa forma, utilização do dinheiro para pavimentação está liberado. Por enquanto, a Prefeitura prefere fazer mistério sobre quais ruas serão contempladas. Confirmadas mesmo, só Copacabana e Santa Catarina.

Continua depois da publicidade

Tarifa

Sem acordo entre Prefeitura de Joinville e empresas de ônibus, entra em vigor nesta segunda o aumento de dez centavos na tarifa. A passagem comprada com antecedência sobe para R$ 4,50. E como a Justiça determinou, em ação apresentada pelas empresas, que a tarifa tem que subir conforme a planilha, há risco de novo aumento daqui a quatro meses.

Menos de 7%

Salmo Duarte / A Notícia
(Foto: Salmo Duarte / A Notícia)

Caminhão da coleta de recicláveis de Joinville descarrega em cooperativa na cidade. Em novo balanço divulgado na semana, o material reciclável continua respondendo por uma fatia reduzida do lixo coletado na cidade, de apenas 6,43% – tratando-se do recolhimento oficial, aquele feito por empresa contratada pela Prefeitura.

Desde 2017 

A confecção de fraldas descartáveis na Penitenciária Industrial de Joinville, a partir desta segunda-feira (9), é uma iniciativa da Secretaria de Saúde buscada desde 2017, quando foi autorizado o convênio com o governo do Estado.

Economia

Além da oportunidade de renda para detentos, a parceria busca a economia na compra dos produtos – que já consumiu R$ 1,8 milhão em 2019. O último pregão, ainda em andamento, previu teto de R$ 6,6 milhões na compra de fraldas (mas trata-se de registro de preço, nem tudo será adquirido).

Continua depois da publicidade

Nada 

Até 2013, a construção do edifício próprio da Justiça Federal aparecia no orçamento da União. Não era muita coisa, mas a rubrica existia. Desde então, nem isso. Também não está na proposta para 2020. Pelo menos foi demolido o antigo prédio, que pertenceu ao Judiciário estadual.

De novo

Os quatis do bairro Floresta são tema, novamente, de reunião na Câmara de Joinville, nesta terça.

Aplicativos

Pelas conta de associação de condutores, são 12 operadoras de aplicativos de transporte de passageiros com atuação em Joinville.

Destaques do NSC Total