nsc
    nsc

    Legislativo

    Presidente da Câmara de Joinville lamenta falta de investimentos por causa de devolução das “sobras”

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    04/01/2021 - 14h50
    Maurício Peixer na posse de sexta: crítica à "propaganda" com sobras
    Maurício Peixer na posse de sexta: crítica à "propaganda" com sobras (Foto: Mauro Schlieck, CVJ, Divulgação)

    O novo presidente da Câmara de Joinville, Maurício Peixer está se queixando das condições de trabalho da sede do Legislativo, como pisos quebrados, equipamentos sem operar e internet deficiente. “Isso foi a falta de investimentos nos últimos anos porque foi priorizada a devolução de dinheiro ao Executivo para fazer propaganda que estava devolvendo dinheiro e não houve preocupação com a qualidade do trabalho da Câmara”, alegou Maurício, que já iniciou levantamento sobre as necessidades da Câmara. “Nós precisamos dar condição de trabalho aos vereadores” disse ele, em declarações na Rádio CBN Joinville.

    > Com recorde de partidos, Câmara de Joinville estuda ampliar tempo das sessões

    > Posse em Joinville: “fará um bom governo”, diz Udo sobre Adriano

    > "Encontraremos equilíbrio para manter a economia e a pandemia sob controle", diz Adriano Silva

    > “Vocês não imaginam o que nós passamos”, diz novo presidente da Câmara de Joinville

    > ​Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aquiA Câmara de Vereadores tem orçamento superestimado há pelo menos duas décadas. Em situação que ocorre em outros legislativos pelo País, a previsão elevada ocorre por necessidades contábeis, como a Lei de Responsabilidade Fiscal. Em 2020, por exemplo, a estimativa orçamentária era de R$ 55 milhões e foram gastos em torno de R$ 36 milhões. Quem está no comando do Legislativo costuma chamar essas sobras de “economia”.

    Maurício Peixer vai consultar os colegas vereadores sobre a possibilidade de o Legislativo deixar de bancar o uso de celulares pelos parlamentares. A pauta do presidente incluiu também a ampliação do horário das sessões, demanda surgida com o maior número de partidos com representação na Câmara; e a regulamentação das despesas de viagem, com ressarcimento, mas sem diárias.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas