Florianópolis

publicidade

Viviane

Chuvas

Respeito à dor alheia: notícias e fotos falsas só causam ainda mais preocupação

Compartilhe

Por Viviane Bevilacqua
11/01/2018 - 18h42 - Atualizada em: 11/01/2018 - 19h24
Jacaré no Texas
(Foto: )

É principalmente nas horas mais críticas de uma comunidade que se pode medir a importância da internet e, especialmente, das redes sociais. Durante a enxurrada que o litoral catarinense sofre desde a noite da terça-feira, muitas informações sobre as áreas mais atingidas pelas chuvas e transbordamentos de rios e córregos, alagamentos, quedas de árvore e de barreiras, buracos nas rodovias e pistas interditadas vem sendo transmitidas em tempo real pelos usuários das redes sociais. É uma ajuda de suma importância para todos, inclusive para a imprensa, que não tem como estar em todos os lugares ao mesmo tempo e também usa as redes sociais para se informar. Isto é realmente muito legal.

O grande problema é que muita gente — provavelmente sem nada mais interessante para fazer da vida — também usa as redes sociais (Twitter, Instagram, Facebook e ainda o Whatsapp) para repassar informações inverídicas, podendo muitas vezes até levar pânico à população. Foi assim, por exemplo, com as fotos de imensos crocodilos que se espalharam hoje pela manhã nas redes sociais, com legendas como “na entrada de Jurerê”, ou então “tome cuidado se você for para a região do Córrego Grande, que está infestada de jacarés”. E os mais desavisados ficam compartilhando, como se fosse verdade. Uma vizinha me ligou para perguntar se eu sabia se já haviam recapturado os jacarés, pois precisava muito ir ao médico no Córrego, mas estava com medo. As fotos do jacaré imenso, ficamos sabendo logo depois, foram tiradas na costa do Texas (EUA), logo após as severas inundações causadas pela chegada do furacão Harvey.

Sim, eu sei que temos jacarés que moram no mangue. Já os vi, mais de uma vez. E sei também que volta e meia algum escapa de lá (até por culpa nossa, que invadimos a área que era deles, com as nossas construções). Mas daí a dizer para as pessoas que não saiam de casa ou não venham para Florianópolis porque aqui quando chove fica infestado de jacarés já é muito exagero, não é não? E postar fotos de crocodilos imensos parados na beira da rodovia, sem saber de onde veio a imagem, é no mínimo irresponsabilidade.

Num momento de tristeza e pânico para muitas pessoas, que perdem tudo numa enxurrada ou que correm inclusive risco de vida (até a tarde quinta-feira duas pessoas já haviam morrido em consequência das chuvas), este tipo de notícia mentirosa soa como um desrespeito e deboche, além de ser um desserviço à comunidade. Vamos usar as redes sociais para alertar a população, como está acontecendo direto neste episódio, para despertar a solidariedade e ajudar as vítimas de mais esta enxurrada, e ainda - isto é inevitável - para cobrar de quem deveria garantir uma melhor infraestrutura nas cidades e estradas, já que é para isso que pagamos impostos. Nesta hora também é necessário que façamos a nossa “mea culpa”: em vários lugares por onde passei, os bueiros estavam entupidos de lixo, o que só aumenta os alagamentos. E isso, sabemos todos, também é responsabilidade (ou melhor, irresponsabilidade) nossa.

Leia todas as publicações de Viviane Bevilacqua

Deixe seu comentário:

publicidade

Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação
Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação