Navegue por

publicidade

Viviane

Um grande negócio chamado Copa do Mundo

Compartilhe

Por Viviane Bevilacqua
13/06/2018 - 13h48 - Atualizada em: 13/06/2018 - 13h48
Divulgação

O brasileiro gosta mesmo de futebol, e fica bastante empolgado quando chega a Copa do Mundo. Pelo menos foi isso o que concluiu uma pesquisa realizada em todas as capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Esta empolgação pode ser medida pelos seguintes números: 78% dos consumidores brasileiros pretendem assistir aos jogos da Seleção Canarinho. Para 10% dos torcedores, diz o levantamento, a empolgação é tanta que eles não conseguem se concentrar no trabalho ou em alguma outra tarefa durante a competição. Aí, na minha opinião, já é fanatismo.

Apenas 14% dos entrevistados responderam que vão seguir a rotina normalmente durante os jogos da Copa. Muitos, mesmo que quisessem, não conseguiriam ter rotinas normais (pelo menos nos dias de jogos de Brasil), já que expedientes de trabalho e de aula, nas escolas e universidades, vão se adequar aos horários da apresentação da nossa seleção.

Porém, a maior prova da empolgação do brasileiro com a Copa do Mundo é este dado da pesquisa do CNDL: aproximadamente 60 milhões de consumidores devem realizar gastos com produtos ou serviços relacionados ao Campeonato Mundial. Ou seja, a competição movimenta uma grana preta no Brasil (e provavelmente nos outros países também). Entre os que devem gastar para acompanhar as partidas, o consumo de alimentos na casa de amigos ou parentes (91%) e de bebidas na comemoração dos jogos (87%) serão os mais comuns. No caso das comidas, os tira-gostos, churrasco e pipocas ocupam as primeiras posições no ranking. Já entre as bebidas, a cerveja dispara na preferência, com 74%.

Muitos brasileiros também pretendem desembolsar com idas a bares e restaurantes para assistir às transmissões dos jogos, comprar camiseta da seleção, decorar a casa de verde e amarelo ou então comprar acessórios como bonés, maquiagem, cornetas e vuvuzelas. Isso, sem contar que cerca de 46% dos consumidores vão participar de bolões, 38% estão adquirindo serviços de dados de internet para smartphone e 21% compraram uma TV nova para acompanhar a competição. Para o comércio e o setor de serviços, a Copa do Mundo vai muito além da competição em campo.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação