nsc

publicidade

Pode causar dor

33% dos brasileiros têm segundo dedo do pé maior que o dedão

Ocorrência do dedo de Morton no país é quase 15% mais alta que média mundial

22/08/2012 - 07h10 - Atualizada em: 22/08/2012 - 09h13

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

Uma pesquisa realizada no início do ano com 26.339 brasileiros indicou que o país tem 15% a mais de casos de dedo de Morton - uma anormalidade em que o segundo dedo do pé é maior que o dedão - do que a média mundial. Promovida pela Pés Sem Dor, uma rede de franquias especializada na fabricação e venda de palmilhas, a pesquisa Os pés brasileiros indicou que 33% dos entrevistados têm dedo de Morton, enquanto a média mundial é de 20%.

Segundo o médico Burton S. Schuller, autor do livro Porque você sente dor: tudo começa nos pés, o dedo de Morton pode causar pronação (um tipo de movimento dos pés) excessiva, que, por sua vez, provoca dores no corpo.

Ao andar ou ficar em pé, a pressão constante exercida na região do dedo de Morton pode levar à formação de calos. Calçados com bico largo e altura apropriada são ideais para tratar essa condição. Palmilhas personalizadas também são recomendadas.

No livro, Schuller ensina uma maneira simples de corrigir a pronação causada pelo dedo de Morton. Segundo ele, basta colocar um apoio de aproximadamente 2 milímetros de espessura em baixo do primeiro osso do metatarso. Esse apoio pode ser um pedaço de feltro preso ao pé com fita adesiva.

Deixe seu comentário:

publicidade