publicidade

Cotidiano
Navegue por

Florianópolis

"A fluidez vai melhorar", diz secretário de Mobilidade sobre o elevado do Rio Tavares

Marcelo Roberto da Silva estabelece a primeira semana de uso do elevado como essencial para medir comportamento de motoristas e avaliar mudanças no trânsito da região

25/03/2019 - 16h08 - Atualizada em: 25/03/2019 - 17h07

Compartilhe

Por Leonardo Thomé
Elevado do Rio Tavares, em Florianópolis (SC)
(Foto: )

A semana será intensa para o secretário de Transportes e Mobilidade Urbana de Florianópolis, Marcelo Roberto da Silva. Com a entrega do elevado do Rio Tavares, em 23 de março, a meta da pasta agora é fazer os ajustes necessários nas linhas de ônibus, na conscientização dos motoristas e em detalhes da engenharia de trânsito que, somados à nova estrutura, podem enfim melhorar o tráfego de veículos na região do Sul da Ilha.

A reportagem conversou com o secretário, que avaliou como positivo o primeiro dia útil após a entrega do elevado, embora também tenha reconhecido que a situação ainda é crítica em alguns pontos.

Qual o balanço que o senhor faz do primeiro dia útil após a inauguração do elevado do Rio Tavares?

A avaliação é positiva. Para o primeiro dia, a gente vê que as pessoas ainda estão receosas em relação à circulação, principalmente quem vem da Lagoa da Conceição para o Campeche e quem vai do Campeche para a Lagoa da Conceição. Eu acho que quando as pessoas perceberem que não é preciso seguir entrando por dentro do Campeche, pela rua Pau de Canela e outras, a fluidez vai melhorar.

Qual foi o principal gargalo nesse primeiro dia útil de operação?

Na saída da avenida Pequeno Príncipe para a SC-405. Ali, travou. Por isso, vamos sugerir ao Deinfra que libere a conversão pelo lado direito da via. Na quarta-feira, haverá uma reunião com o secretário de Infraestrutura do Estado para levarmos essa sugestão, que seria para as pessoas acessarem a SC-405 diretamente, sem retenção. Aí também tem a questão da desinformação, porque como estava fechado o trecho do elevado para quem ia da Lagoa para o Campeche e vice-versa, as pessoas ainda estão usando a Pequeno Príncipe e outras para ir à Lagoa. Mas agora já pode passar pelo elevado.

E o transporte coletivo, haverá alterações?

A alteração das linhas que passam na região só serão feitas a partir de 1º de abril. Amanhã (terça-feira), teremos uma reunião com as comunidades do Campeche, Rio Tavares, Morro das Pedras e Porto da Lagoa, para conversar sobre as alterações, ouvir as pessoas para melhorar ainda mais a situação no local. Então, é uma semana de adaptação, de conhecimento por parte dos motoristas. A gente entende que cada dia vai ser um ganho diferente.

Alguns motoristas reclamam das faixas de pedestres elevadas ao longo da SC-405, inclusive sugerindo que sejam feitas passarelas na rodovia. Isso pode acontecer?

Não, por ora não há nada disso.

O elevado ficou pronto. Mas o que ainda falta para melhorar o trânsito na região?

A solução vai acontecer com a conclusão do novo acesso ao aeroporto internacional Hercílio Luz, que vai beneficiar muito o trânsito na região. Mas essa solução ficou só para outubro em uma obra que é do Governo do Estado.

A SC-405 seguirá sendo fechada no sentido centro/bairro pelas manhãs?

Hoje (segunda-feira), a retenção da pista foi de 20 minutos. Enquanto antes era de 40 minutos. Mas a partir do momento que os motoristas tiverem o conhecimento de que não precisa acessar a Pequeno Príncipe, que há uma via marginal para acessar a Lagoa ao lado do elevado, que é possível ir da Lagoa para o Campeche pelo elevado, então, as pessoas precisam entender mais a dinâmica do elevado para vermos se será possível efetuar alguma mudança na retenção da pista, que pelo menos já diminuiu.

Outras obras e possibilidades de intervenção no Sul da Ilha

A obra apontada como essencial para, junto do elevado do Rio Tavares, minimizar os gargalos no trânsito do Sul da Ilha, é o novo acesso ao aeroporto internacional Hercílio Luz. A obra, do Governo de Santa Catarina, tem como prazo oficial a entrega em outubro de 2019.

Um estudo de engenharia encomendado pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), no entanto, põe em dúvida a promessa do governo do Estado sobre a entrega das obras da via de acesso ao novo terminal de passageiros do Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis.

Conforme o levantamento, o ritmo atual das obras pode impedir que tudo esteja pronto até outubro deste ano, tal como afirmou o secretário de Infraestrutura, Carlos Hassler, no mês de fevereiro.

Na época, a Floripa Airport, concessionária responsável pela administração do terminal, criticou diversas vezes a demora para o término do trabalho. No entanto, dias depois, a empresa cedeu e aceitou adiar a inauguração do terminal do mês de agosto para outubro, junto com a entrega da via de acesso.

Outra intervenção que poderia ser feita na região é a abertura de uma quarta pista na SC-405, do Trevo da Seta até o elevado, por exemplo. Essa obra, porém, não tem estimativa de sair do papel.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação