A legislatura que começa nesta sexta-feira (1º) terá a maior bancada feminina da história da Assembleia Legislativa de Santa Catariana (Alesc). São cinco deputadas estaduais que foram eleitas em outubro de 2018 e tomaram posse nesta sexta. Apesar do recorde, elas ainda representam apenas 12,5% dos parlamentares que iniciam o mandato.

Continua depois da publicidade

Quem começou a história feminina na Alesc foi a professora e escritora Antonieta de Barros em 1934, quando também tornou-se a primeira negra a ser eleita para deputada no Brasil. Ela ainda conseguiria outro mandato, em 1946. Outras 11 mulheres assumiram uma cadeira na Assembleia Legislativa até 2018, sendo que quatro estavam ocupando o cargo na última legislatura.

Conheça as mulheres que assumem mandato para deputada estadual nesta sexta-feira:

Ada de Luca (MDB)

Foi eleita para deputada estadual pelo quarto mandato consecutivo após os 34.501 votos que recebeu em outubro de 2018. Nasceu em Criciúma, no Sul do Estado, e completará 70 anos em 2019. Atuou como secretária de Estado da Justiça e Cidadania durante o mandato do ex-governador Raimundo Colombo.

Ana Caroline Campagnolo (PSL)

Professora de história, foi eleita para o primeiro mandato após receber 34.825 votos no último mês de outubro. Tem 27 anos e nasceu em Chapecó, no Oeste catarinense. Antes mesmo de tomar posse, envolveu-se em polêmicas por publicar nas redes sociais um disque-denúncias contra professores.

Continua depois da publicidade

Ana Paula Silva – Paulinha (PDT)

Eleita em 2012 para prefeita de Bombinhas, no Litoral Norte do Estado, foi reeleita em 2016 e renunciou para concorrer pela primeira vez a deputada estadual. Chega à Alesc após ser escolhida por 51.739 eleitores, alcançando a quinta maior votação para o cargo em Santa Catarina. Tem 43 anos.

Luciane Carminatti (PT)

Teve a maior votação entre as mulheres e a segunda entre todos os candidatos a deputado estadual. Os 61.271 votos garantiram o terceiro mandato consecutivo para Luciane Carminatti, que está na casa desde 2011. Na última legislatura, ocupou a presidência da Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Alesc.

Marlene Fengler (PSD)

Natural de Itapiranga, município localizado no Extremo-Oeste catarinense, é servidora pública e tem 50 anos. Os 41.684 votos conquistados em outubro garantiram o primeiro mandato como deputada estadual. Antes, atuava como chefe de gabinete de Gelson Merisio, ex-deputado estadual e candidato derrotado na disputa pelo Governo do Estado.

Destaques do NSC Total