nsc
    dc

    Polêmica no balcão

    Após fim das sacolinhas, vereadores de SP discutem proibição da distribuição de caixas de papelão em supermercados

    O material das caixas seria um veículo para propagação de bactérias, segundo defensores do projeto

    15/05/2012 - 06h40 - Atualizada em: 15/05/2012 - 06h48

    Compartilhe

    Por Redação NSC

    Depois de os supermercados de São Paulo suspenderem a distribuição de sacolas plásticas, vereadores da maior cidade do país discutem a proibição do uso de caixas de papelão para transportar compras feitas nesses estabelecimentos.

    Opine: para você, qual o melhor meio para carregar as compras?

    Desde que as sacolinhas deixaram de ser distribuídas, em abril, as caixas de papelão tornaram-se alternativas adotadas por supermercados para que os clientes possam acondicionar os produtos comprados. Mas tramita na Câmara Municipal paulistana um projeto de lei, de autoria do vereador Francisco Chagas (PT), que pode colocar fim ao uso das caixas. A proposta é fundamentada em questões de ordem sanitária: as caixas de papelão seriam anti-higiênicas. Mas fabricantes de plásticos também têm interesse na matéria.

    Segundo a assessoria de comunicação da Câmara Municipal de São Paulo, o Instituto Socioambiental dos Plásticos apresentou um estudo que analisou caixas de papelão, sacolas plásticas e salcolas de pano (ecobags) e que teria constatado a presença de bactérias em 80% das amostras de papelão verificadas.

    Ouvido pela Câmara, Vital Oliveira, arquiteto da divisão de Higiene do Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo, questiona os resultados da pesquisa

    - A quantidade de bactérias encontradas está abaixo dos níveis adotados como padrão mundial. Precisamos ter definido qual é o conceito de contaminação para podermos afirmar que as caixas de papelão podem trazer algum tipo de problema para a saúde da população - pondera Oliveira.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas