nsc

publicidade

Notícia

As reuniões na CBF

21/02/2001 - 22h36

Compartilhe

Por Redação NSC

Nada mais curioso e estranho do que as visitas do presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Peixoto Filho, à CBF, no Rio. Após as reuniões, a palavra de ordem é, sempre: "Não tem nada definido". Em seguida, as agências de notícias começam a esparramar textos de entrevistas de Ricardo Teixeira, apresentando dados sobre tudo que aconteceu na reunião com as federações estaduais. Misterioso O presidente Delfim Peixoto Filho está cada vez mais misterioso. Demonstra ter um cuidado especial com qualquer declaração, como se isso viesse a deixá-lo mal perante a CBF. Em Santa Catarina as notícias só chegam depois que todo o Brasil já divulgou. Copa do Brasil A Copa do Brasil deverá ter 64 clubes participantes e todos por convite da Confederação Brasileira de Futebol. Palavras de Ricardo Teixeira. Certo ou errado, com critério ou não, o presidente da CBF jogou no ar para o Brasil o número de clubes que deverão disputar a Copa. Já o nosso presidente disse o óbvio: "Os campeões estaduais estão garantidos, o resto não está definido A melhor Em compensação, Delfim costuma transmitir algumas notícias, quando está no Rio, que jornal nenhum do país publica. Disse o nosso presidente: "Estive com Armando Marques e ele considerou a arbitragem catarinense a melhor da Copa Sul/ Minas". Ótimo, mas queria ver essa declaração estampada no Globo, Jornal do Brasil e outros... O desabafo Um presidente muito preocupado com o futuro do seu clube e especialmente com a forte pressão que a imprensa exerce na montagem final do time. Foi assim que vimos Flávio Felix, ontem, no Debate Diário, da CBN/Diário. O dirigente fez um balanço da situação financeira do clube, falou de contratações, da qualidade atual do Avaí, alfinetou alguns comentaristas e disse que, na sua opinião, o Joinville é hoje o melhor time do Estado. O futuro maior preocupação de Flávio Félix é o calendário do segundo semestre. Uma revelação que pode não ter agradado a torcida: "Nossa preocupação não é o Campeonato Estadual". O Avaí, segundo ele, não voltará a cometer loucuras, contratando jogadores sem ter como pagá-los. "Estamos dentro da realidade do futebol da Capital e nosso time está adequado ao momento atual". Déficit tricolor Mauro Bartholi, novo presidente do Joinville, assume o clube na próxima semana com um belo problema para resolver. O tricolor deve arrecadar em 2001 cerca de R$ 1,1 milhão e terá, no entanto, gastos na faixa de R$ 1,8 milhão. Isso representará para os cofres do clube um déficit de R$ 700 mil. Só com a folha de pagamentos, com encargos sociais e tudo, o valor até dezembro deve ficar em R$ 1,4 milhão. Todo novo dirigente costuma mostrar empenho, mas a torcida quer saber, na prática, como a equação será resolvida. Guga e os hermanos Guga continua conquistando admiradores no mundo todo. Na terça-feira, no torneio de Buenos Aires, ao desferir um golpe, a bolinha acertou em um boleiro. O catarinense foi até o garoto e deu um beijo em sua cabeça, para delírio da platéia argentina.

Deixe seu comentário:

publicidade