nsc

publicidade

Atalanta

Atalanta: Foco no verde

Cidade conseguiu recuperar a mata ciliar

30/07/2013 - 09h33

Compartilhe

Por Redação NSC
No século 20, quase toda mata ciliar da zona urbana e rural estavam destruídas
No século 20, quase toda mata ciliar da zona urbana e rural estavam destruídas
(Foto: )

Apequena cidade de Atalanta se desenvolveu desde o começo do século 20 pela agricultura. O mesmo trabalho no campo que se reverteu em recursos financeiros e sustentou as famílias trouxe um alerta ambiental. Quase toda mata ciliar da zona urbana e rural estavam destruídas. Éramos o município mais devastado do Alto Vale do Itajaí. A preocupação ficou mais forte quando os rios começaram a se esvaziar. Como todo o abastecimento de água é feito pelas nascentes locais, o que seria do município? Desde então, em meados da década de 90, entendemos que não se desenvolver, precisámos ser sustentáveis.

Fizemos uma megaoperação para recuperar o que foi devastado. Mais de 1,5 milhão de mudas de árvores nativas foram replantadas. Dentro do possível, o meio ambiente foi restabelecido. Esse susto nos trouxe um alerta. entendemos que não precisávamos apenas de desenvolvimento, de mais recursos. Não poderíamos abrir mão, de jeito algum, de nossa qualidade de vida. A natureza é um ponto forte de nossa cidade e vai continuar sendo, ao lado de um povo tranquilo e trabalhador. Conseguimos reverter e hoje temos o título de Capital Ecológica de Santa Catarina. Somos reconhecidos no Brasil e no exterior por nosso feito. E temos orgulho disto.

Tarcísio Polastri

Prefeito

_Atalanta contribui muito na questão ambiental do Estado.

SAIBA MAIS

População: 3.281 habitantes

Localização: no Vale do Itajaí, a 40,5 km de Rio do Sul.

Área: 94,53 quilômetros quadrados

Emancipação: 04/12/1964

Características: cidade foi colonizada por alemães e italianos e sempre teve características agrícola

Atrativos: turismo ecológico e rural

Curiosidades: movimentação de órgãos ambientais conseguiu que 70% das matas nativas da cidade fossem recuperada, depois que 11 km de mata ciliar foram destruídas

Deixe seu comentário:

publicidade