publicidade

Política
Navegue por

Repercussão

Ataque de Bolsonaro a repórter busca "desqualificar o trabalho jornalístico", dizem entidades de mídia

ANJ, Abert e Aner emitem nota lamentando ataque de presidente à jornalista e ao jornal O Estado de São Paulo 

11/03/2019 - 19h47 - Atualizada em: 11/03/2019 - 19h49

Compartilhe

Por Folhapress
Jair Bolsonaro
Entidades de imprensa do país lamentam ataques de Bolsonaro à reporter
(Foto: )

Entidades de classe estão repudiando sobre o ataque de Jair Bolsonaro ao jornal O Estado de S. Paulo e à repórter Constança Rezende. Em nota conjunta, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), a Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) "lamentam que o presidente da República reproduza pelas redes sociais informações deturpadas e deliberadamente distorcidas com o sentido de intimidar a jornalista e a liberdade de expressão".

A polêmica ganhou visibilidade quando o presidente se manifestou no Twitter e endossou tese levantada pelo site Terça Livre, que falsamente atribuiu à jornalista do Estadão a declaração de que teria "intenção" de "arruinar Flávio Bolsonaro e o governo".

A suposta declaração, que aparece entre aspas no título do texto do Terça Livre, foi atribuída pelo site à repórter. A frase teria sido dita, segundo "denúncia" de um jornalista francês, em uma conversa gravada em que a repórter fala da cobertura jornalística das movimentações suspeitas de Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio.

A gravação do diálogo, porém, mostra que Constança em nenhum momento fala em "intenção" de arruinar o governo ou o presidente. A conversa, em inglês, tem frases truncadas e com pausas. Só trechos selecionados foram divulgados. Em um deles, a repórter avalia que "o caso pode comprometer" e "está arruinando Bolsonaro", mas não relaciona seu trabalho a nenhuma intenção nesse sentido.

Confira íntegra da nota

A propósito do episódio relacionado à repórter Constança Rezende, do jornal O Estado de S.Paulo, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), a Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) lamentam que o presidente da República reproduza pelas redes sociais informações deturpadas e deliberadamente distorcidas com o sentido de intimidar a jornalista e a liberdade de expressão.

Os ataques à repórter têm o objetivo de desqualificar o trabalho jornalístico, fundamental para os cidadãos e a própria democracia.

ABERT, ANER e ANJ assinalam que a tentativa de produzir na imprensa a imagem de inimiga ignora o papel do jornalismo independente de acompanhar e fiscalizar os atos das autoridades públicas.

Brasília, 11 de março de 2019.

Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

Associação Nacional de Editores de Revistas

Associação Nacional de Jornais

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação