nsc

publicidade

Coletiva

Avaí reclama expulsão após consulta ao VAR, e técnico diz: "O futebol está sem graça" 

Leão perde por 1 a 0 para o São Paulo, e pelo segundo jogo seguido tem atleta expulso de maneira semelhante

20/10/2019 - 18h52

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Evando fala sobre expulsão em São Paulo 1 x 0 Avaí
Evando fala sobre expulsão em São Paulo 1 x 0 Avaí
(Foto: )

O Avaí perdeu por 1 a 0 para o São Paulo, neste domingo, e pelo segundo jogo seguido do Brasileirão teve um atleta expulso no primeiro tempo após consultado ao VAR. Na última quinta-feira, na derrota por 2 a 0 para o Internacional, foi o volante Wesley, aos 3 minutos de jogo. No Morumbi, foi aos 22, quando Brenner acertou a sola da chuteira no zagueiro Bruno Alves em uma disputa de bola. O lance gerou um desabafo do técnico Evando.

Para ele, foi um lance acidental, em que Brenner não teve qualquer intenção de machucar o defensor adversário ou ser desleal.

– Sabíamos que os 15 minutos (iniciais) seriam de pressão. Buscaríamos os contra-ataques, mas o futebol está sem graça. Os árbitros precisam estudar fisiologia. Primeiro não jogaram futebol e foram ser árbitros, ponto. A partir do momento que o jogador faz o movimento, não tem como tirar o pé em seguida. Eles precisam estudar, e é sério. Qualquer atleta que esticar o braço pode acertar o rosto do companheiro no movimento, o que é natural. Mas se colocar na câmera lenta, você o expulsa. Se trabalha muito para ganhar. No nível técnico altíssimo, ganhar de uma grande equipe é difícil. Foram 170 minutos que jogamos com um jogador a menos. Isso não é desculpa. Vamos corrigir a parte tática, claro, pois tomamos um gol de bola parada e não por inferioridade numérica, mas o atleta cansa. Os árbitros precisam estudar fisiologia - desabafou o treinador do Leão.

O Avaí conseguiu suportar todo o primeiro tempo em que jogou aproximadamente metade dele com um atleta a menos. No segundo, o São Paulo chegou ao gol após batida de escanteio. Apesar da pressão do time da casa no Morumbi, o Leão suportou a pressão e no finzinho, ainda, quase teve a chance do empate com Marquinhos Silva.

- A gente fez um bom primeiro tempo na bola parada. A gente mudou a forma de marcar, com três atletas bloqueando e cinco na zona. Isso é trabalho. O futebol tem três vertentes. Tem que ser perfeito na parte ofensiva e na defensiva, e na bola parada não pode dar brecha. Vamos ver o que aconteceu no lance. Mas é mais um jogo que o VAR complica o futebol brasileiro, e não apenas o Avaí. Há muitas divergências e que se preparem melhor para ser feito com mais excelência - reiterou Evando.

O próximo jogo do Avaí será às 18h do próximo domingo. Na Ressacada, o Leão recebe o Palmeiras, pela 28ª rodada do Brasileirão.

Leia mais notícias e opiniões sobre o Avaí no NSC Total.

Deixe seu comentário:

publicidade