nsc
    an

    Trânsito 

    Balanço do primeiro dia do rotativo é de 79 veículos multados e 21 guinchados em Joinville 

    Sistema de estacionamento foi implantado nesta sexta-feira na cidade, seis anos depois do término da "zona azul" 

    26/04/2019 - 18h28

    Compartilhe

    Cláudia
    Por Cláudia Morriesen
    Até o fim do primeiro dia, 79 foram multados e 21 foram guinchados
    (Foto: )

    O novo sistema do estacionamento rotativo de Joinville começou a funcionar às 8h30 desta sexta-feira, 26 de abril, em 17 ruas do Centro. Até o fim do primeiro dia, 79 foram multados e 21 foram guinchados das vagas porque haviam ultrapassado o período máximo permitido nas vagas do estacionamento rotativo.

    Uma professora que chegou ao Centro por volta das 7h30 e estacionou na rua do Príncipe quase passou pela situação de ter o carro guinchado. Ela — que preferiu não ter o nome publicado — contou que estacionou antes do horário em que o sistema começa a valer (às 8h30) e foi para o trabalho. Por volta das 10h50, quando voltou para o carro, encontrou um agente de trânsito aplicando a multa.

    — Ele disse que já tinha acionado o guincho e iria cancelá-lo, e me deu apenas a multa. Eu sabia que o sistema iria começar, mas, quando vim para o trabalho hoje de manhã nem me lembrei — afirma ela.

    A reportagem do jornal A Notícia presenciou dois carros sendo guinchados na rua Princesa Isabel ainda na manhã de sexta-feira. Segundo os agentes, eles haviam extrapolado o período permitido em cerca de 15 minutos. Até o momento em que o caminhão-guincho deixou a via levando os dois veículos, os motoristas ainda não haviam retornado.

    O gerente de trânsito Atanir Antunes, do Departamento de Trânsito de Joinville (Detrans), salientou que não há período de tolerância após o veículo ultrapassar o período máximo. Caso o motorista chegue antes do caminhão-guincho chegar ao local, ele ainda poderá retirá-lo, mas continuará sendo penalizado com a multa.

    Josiane do Nascimento, que caminhava pela rua Princesa Isabel no momento em que os dois carros eram guinchados, considerou a penalização muito radical. Apesar de ser catarinense, ela morou por 25 anos em Curitiba e retornou para Joinville em 2013, em um momento em que já não havia mais estacionamento rotativo nas ruas da cidade.

    — Acho que as duas semanas de orientação foram pouco tempo para que os moradores se acostumassem e entendessem esse novo sistema depois de quase seis anos sem regras para estas vagas. Eu, por exemplo, achei que haveria multa mas que haveria tolerância para guincharem o carro. Muita gente vai se assustar e se desesperar quando voltar para o carro e não o encontrar, achando que ele foi furtado — avaliou.

    Bernard Kinder, que trabalha em uma sala comercial na rua Princesa Isabel, também considerou que a situação não vai trazer tantos benefícios para os motoristas. Isso porque, ao mesmo tempo em que o sistema garante mais vagas na região central, a retirada dos infratores com o reboque atrapalhou o trânsito.

    — O caminhão fica um tempão parado em uma pista para fazer a retirada de dois carros. Além disso, não há placas sinalizando que os veículos estão sujeitos à guincho, o que eu não acho justo — reclamou.

    O que fazer se for autuado e tiver o carro guinchado

    O motorista que tiver o carro, a moto ou o caminhão removido da vaga pode ligar para o Copom no número 190 para fazer a verificação. O sistema da Central de Operações da Polícia Militar (Copom) está sendo notificado em tempo real sobre os veículos guinchados para informar o motorista sobre a remoção. O veículo será levado para um pátio na BR-101. Para retirá-lo, será necessário primeiramente que o proprietário vá até o Detrans (na Rua Recreativa Antártica, 301, América) para apresentar a documentação e fazer o pedido de retomada do veículo. Ele será encaminhado para o pátio da empresa conveniada, onde também deverá pagar o valor do guincho.

    Quando o motorista chegar antes do reboque, ele ainda pode receber uma via da multa para regularizar a situação, sob o pagamento de R$ 195. Caso o veículo seja guinchado, a regularização deve ser feita no Ciretran quando o motorista for realizar presencialmente a renovação do licenciamento do documento do veículo ou pelo aplicativo SNE — neste segundo, há 40% de desconto no valor.

    — É importante que o motorista saiba que não é deixado nenhum ticket no veículo informando o horário inicial. O agente pode passar a pé, de bicicleta ou de moto para verificar as vagas, isso vai levar poucos segundos. A partir do momento em que ele registrar é que passa a valer, mesmo que o carro já esteja ali há uma hora. O objetivo não é multar nem penalizar, é oferecer rotatividade — informou Atanir Antunes, do Detrans.

    Apesar da reclamação dos motoristas sobre a falta de divulgação das regras do sistema, o reboque do veículo é previsto no Código Brasileiro de Trânsito. Ele está presente no inciso 17 do artigo 181 (estacionar o veículo em desacordo com as condições regulamentadas especificamente pela sinalização).

    Entenda como vai funcionar o sistema de estacionamento rotativo

    São dez agentes de trânsito totalmente dedicados à fiscalização. Os demais agentes do Departamento de Trânsito (Detrans) e da Guarda Municipal também poderão autuar os motoristas. O sistema é operado por meio de tablets onde há o controle de todas as vagas do rotativo. Os agentes acompanham quais estão ocupadas (elas ficam com a cor verdes) e aquelas em que o veículo ultrapassou o limite de tempo permitido (sinalizadas no sistema pela cor vermelha).

    São 905 vagas de estacionamento. O período de uso é de segundas a sextas-feiras das 8h30 às 18h30 e aos sábados das 8 às 13 horas. O tempo varia de uma a duas horas, de acordo com a área estabelecida. Após esse tempo o condutor é obrigado a retirar o veículo da vaga. O mesmo espaço só pode ser utilizado uma única vez no dia por cada veículo.

    As vagas são distribuídas em 758 para carros (2 horas), 30 para caminhões (1 hora), 33 para idosos (2 horas), 22 para pessoas com deficiência (2 horas), 35 para motos (2 horas) e 27 para veículos com uso obrigatório de pisca-alerta ligado (15 e 30 minutos).

    O sistema foi implantado nas ruas dos Ginásticos, Mario Lobo, Luiz Niemeyer, Princesa Izabel, Dona Francisca, 15 de Novembro, do Príncipe, travessa Bachmann, 9 de Março, Jacob Richlin, Três de Maio, Rio Branco, Sete de Setembro, Padre Carlos, Marinho Lobo, Abdon Batista e Frederico Stoll.

    Após a implantação de galerias das obras de macrodrenagem do rio Mathias na área central, o estacionamento será implantado também nas ruas São Francisco, São Joaquim, Engenheiro Niemeyer e Jerônimo Coelho.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas