Se a chuva deu as caras no fim da manhã e preocupou quem tem planos de ir à Rua XV de Novembro para curtir o desfile da Oktoberfest, com a possibilidade de cancelamento da atração que leva milhares de blumenauenses e turistas para a principal via da região central da cidade. Na Rua Itajaí, no Vorstadt, ela não fez nem diferença para a festa armada no Ginásio do Sesi. O fã de futsal lotou as arquibancadas para torcer pelo time de Blumenau diante do Copagril-PR, no jogo de ida das oitavas de final da Liga Nacional de Futsal.

Continua depois da publicidade

Em uma partida foi marcada pela emoção e pelo domínio do time da casa, que teve mais volume de jogo e chances de ampliar o placar, blumenauenses e paranaenses empataram em 3 a 3. Ceará, Ruan e Rudi marcaram os gols do time da casa. Johny, Vilela e Xande anotaram para o time do interior do Paraná. A arbitragem deixou o ginásio como um dos personagens coadjuvantes. A equipe de Blumenau e a torcida ficaram na bronca com os árbitros em pelo menos três lances, que poderiam ter sido anotados pênaltis para o time da casa.

As duas equipes voltam a medir força no próximo sábado, às 11h, no Ginásio de Esportes Ney Braga, em Marechal Cândido Rondon (PR). Quem vencer, avança para as quartas de final. Como teve a melhor campanha na fase de classificação, o time paranaense tem a vantagem de jogar pelo empate e forçar a prorrogação, onde novamente terá a vantagem de empatar.

O jogo

A partida começou equilibrada, com os dois times administrando a posse de bola e criando chances de marcar, colocando o goleiro adversário para trabalhar. Com o passar do tempo, o time da casa mostrou-se melhor e passou a dominar as ações.

Continua depois da publicidade

Aos oito minutos jogados no primeiro tempo, o grito de gol ecoou pelo ginásio. Ceará fez a festa da torcida da casa. Em uma bela trama do ataque, com a bola passando de pé em pé dos cinco atletas, o camisa 10 de Blumenau recebeu pela direita e tocou cruzado, por cima, na saída do goleiro, para abrir o placar e levantar a torcida. Um trecho de Hallo Blumenau, a música composta por Helmut Högl, um dos hinos da Oktoberfest, serviu de trilha sonora para a festa dos torcedores: "Alles gut, alles blau, alles himmelblau in Blumenau".

A festa nas arquibancadas durou pouco. Um minuto depois, Johny deixou tudo igual no placar, com um chute forte, de frente para o gol, fazendo a festa dos aproximadamente 30 torcedores da equipe de Marechal Cândido Rondon (PR) presentes no Sesi. O time de Blumenau não se abateu. Em nova jogada que envolveu o sistema defensivo do time do Paraná, aos 10, Libânio marcou o segundo gol. Colocado ao lado da meta, o camisa 28 de Blumenau empurrou a bola para dentro do gol. No entanto, a arbitragem anulou o gol, anotando toque de mão.

O jogo passou a ficar truncado, com os dois times chegando mais junto, e abusando das faltas. Em uma delas, restando pouco mais de seis minutos para o fim do 1º tempo, Lucas Rozenski recebeu dentro da área e foi deslocado pela marcação por trás na hora da finalização, mas a arbitragem nada marcou e mandou seguir o lance. O jogo seguiu aberto com chances de marcar para os dois lados, e também pegado. Com pouco mais de um minuto para jogar, Lucas Rozenski voltou a ser deslocado pela marcação dentro da área, após um belo giro, mas novamente os árbitros mandaram o jogo seguir e nada marcaram.

No segundo tempo, os paranaenses começaram assustando, com chutes de média distância, exigindo boas defesas do goleiro Ivan. Os donos da casa não demoraram para reagir e Rafinha teve a oportunidade de marcar em dois lances num intervalo curto de tempo, mas parou no goleiro Rennan em ambos. A pressão de Blumenau seguiu, com uma sequência de escanteios nos primeiros três minutos da etapa final. Em um deles, Lucas Rozenski quase marcou o segundo gol do time da casa.

Continua depois da publicidade

O domínio de Blumenau prosseguiu. Com 13 minutos para jogar no segundo tempo, o time de Blumenau criou uma boa trama no ataque. Ceará recebeu dentro da área, chutou prensado em cima do goleiro e na sequência a bola bateu no braço esquerdo do jogador Johny, mas a arbitragem nada marcou, apesar da reclamação dos jogadores e da torcida blumenauense.

Menos de um minutos depois, Ruan fez a torcida explodir de alegria nas arquibancadas. Após boa jogada ofensiva, a bola sobrou para o camisa 31, que encheu o pé esquerdo e anotou o segundo gol do time da casa: 2 a 1 para Blumenau. O time do Paraná, por sua vez, não se deu por vencido. Com 12 minutos para o fim da partida, Vilela deixou tudo igual no placar: 2 a 2.

O time da casa não se abateu e voltou a pressionar o adversário, trabalhando a posse de bola e envolvendo o sistema defensivo do time do Paraná. Os visitantes, por sua vez, buscavam os contra-ataques e as jogadas ensaiadas em lances de bola parada, como faltas e escanteios, para assustar.

E foi em um lance desses, num rápido contragolpe, que o time do Paraná assumiu a liderança do placar. Com pouco mais de cinco minutos para o término da partida, Barbosinha puxou o contra-ataque pelo lado esquerdo da quadra e rolou para o meio, onde Xande apareceu para chutar e marcar o terceiro gol dos visitantes.

Continua depois da publicidade

Os blumenauenses não se abateram e voltaram a pressionar. Com dois minutos para o termino da partida, Rudi recebeu pela direita e chutou forte, no ângulo superior esquerdo da meta do goleiro Rennan, para deixar tudo igual novamente no placar: 3 a 3.

O gol de Rudi esquentou o caldeirão do Sesi. A torcida se levantou e passou a pressionar ainda mais o adversário e empurrar o time da casa em busca do gol da vitória. Mas não deu.

Destaques do NSC Total