nsc
    an

    Dança

    Bolshoi 20 anos: Escola terá programação especial de aniversário em Joinville

    Instituição que tem o Balé Bolshoi de Moscou como origem completa duas décadas de instalação no Brasil em março de 2020

    17/12/2019 - 10h38 - Atualizada em: 17/12/2019 - 14h21

    Compartilhe

    Cláudia
    Por Cláudia Morriesen
    foto mostra cena de o quebranozes
    "O Quebra-nozes" é um dos espetáculos de aniversário
    (Foto: )

    A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil divulgou na manhã desta terça-feira, 17, as novidades para a comemoração de 20 anos da instalação da instituição em Joinville. Entre elas, está a apresentação de dois grandes espetáculos no Centreventos Cau Hansen, em 14 e 15 de março de 2020: "O Quebra-nozes" e "Don Quixote". Eles serão protagonizados por bailarinos do Teatro Bolshoi de Moscou, que dividem o palco com alunos e bailarinos da Cia. Jovem Bolshoi Brasil.

    Em julho, a Escola Bolshoi será a responsável pela Noite de Abertura do Festival de Dança de Joinville. Eles dançarão uma Gala Especial, que será montada pela escola especialmente para a data, e contarão com a presença de ex-alunos que hoje são bailarinos em grandes companhias nacionais e internacionais no elenco.

    Para começar o ano de aniversário, haverá a apresentação da Suíte de "O Quebra-nozes" no 15º Festival de Música de Santa Catarina (Femusc). Os alunos e bailarinos serão acompanhados por uma orquestra durante o espetáculo, que ocorre no Grande Teatro da Scar, em Jaraguá do Sul, no dia 28 de janeiro.

    No evento de lançamento, o presidente do Instituto Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, Valdir Steglich, recordou a história da instalação do Bolshoi em Joinville, motivada pela passagem do Bolshoi de Moscou pelo Festival de Dança de Joinville, e as negociações que levaram ao contrato para que fosse aberta no Brasil a única escola do Bolshoi fora da Rússia.

    — Na primeira audição, eram 1.100 crianças fazendo os testes na Univille. Eu estava lá, ainda como médico e não como presidente, para os exames médicos. Como tinha uma filha que fazia balé, acreditava e torcia por este projeto — lembrou.

    O diretor artístico do Bolshoi Brasil, Pavel Kazarian, também recordou que, nos primeiros anos da Escola Bolshoi Brasil, as entradas para os espetáculos de aniversário eram trocadas por um quilo de alimento não perecível. Atualmente, há espetáculos sendo apresentados todos os meses entre março e novembro, com cobrança de ingresso e, mesmo assim, a plateia está sempre lotada.

    — Eu acho que essa foi a maior conquista. Mesmo sendo uma escola, conseguimos divulgar o nosso trabalho social e artístico. Então, hoje as pessoas pagam para assistir, e tem público para isso, na cidade de Joinville e muito mais em outras cidades e estados. Então, mesmo que nosso principal trabalho seja a formação das crianças, apresentamos bons resultados artísticos — avalia ele.

    A Escola Bolshoi é uma entidade sem fins lucrativos. Parte do orçamento da escola é pago com recursos do Fundo Estadual de Cultura do Estadual de Santa Catarina, e a outra parte é captada com empresas via isenção fiscal pela Lei de Incentivo à Cultura (antiga Lei Rouanet) e com o projeto Amigos do Bolshoi. Atualmente, também é possível colaborar com doações via fatura de energia elétrica da Celesc. A escola também faz parcerias com marcas como a Paviloche, a Doce Beijo e a Damyller para criação de produtos que levam seu nome.

    foto mostra a coletiva de imprensa
    Presidente do Instituto Escola Bolshoi anuncia as novidades
    (Foto: )

    Renovação de contrato

    No aniversário da Escola Bolshoi no Brasil, em 15 de março, será renovado o contrato com o Teatro Bolshoi de Moscou. Nesta data, o diretor financeiro Serguei Maksimenko, e o diretor artístico Makhar Vazijev, estarão em Joinville para assinar o documento, que garantirá a continuidade da parceria entre o Brasil e a Rússia.

    — Geralmente, ele é feito a cada quatro anos. Mas, desta vez, será renovado por mais cinco anos — explicou Pavel Kazarian.

    O contrato com o teatro da Rússia garante não só a manutenção da marca Bolshoi no Brasil, mas também a indicação de ex-bailarinos da companhia para atuarem como professores em Joinville, o intercâmbio de alunos e profissionais do Brasil dentro do Teatro Bolshoi de Moscou e a vinda de pessoas como Vladimir Vasiliev, patrono do Bolshoi Brasil, que remontou os espetáculos "O Quebra-nozes" e "Don Quixote" especialmente para a filial brasileira.

    — Na prática, significa que precisamos, cada vez mais, melhorar a nossa parte técnica para ter a validação do Teatro Bolshoi de que nós estamos aplicando corretamente a metodologia, assim como a parte administrativa para nos tornarmos autossuficientes. É um reconhecimento que, depois de 20 anos, a tendência é continuar "ad eternum" — afirma o presidente, Steglich.

    foto mostra bailarina com cerca de 12 anos dançando
    Entre os espetáculos está "O Quebra-nozes"
    (Foto: )

    Ingressos

    Os ingressos para os espetáculos de aniversário do Bolshoi Brasil já estão à venda. Eles podem ser adquiridos na secretaria da escola, no Centreventos Cau Hansen, nesta terça-feira e, depois, a partir de 20 de janeiro. Também estão disponíveis no site Enjoy Ticket.

    Para a apresentação no Femusc, em 28 de janeiro, a bilheteria também abriu nesta terça-feira. Podem ser comprados na bilheteria da Scar (de segunda-feira a sexta-feira das 8h às 20h, sem fechar para o almoço, e sábado das 8h ao meio-dia) ou no site Ticket Center.

    Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Entretenimento

    Colunistas