nsc

publicidade

Brasília

Bolsonaro diz que quer saber custo final do combustível da Petrobras

Presidente disse que fará uma reunião com funcionários para perguntar como o percentual de reajuste do combustível é calculado

12/04/2019 - 17h53 - Atualizada em: 12/04/2019 - 17h58

Compartilhe

Por Folhapress
Jair Bolsonaro
(Foto: )

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta sexta-feira (12) que quer entender a política de preços da Petrobras, um dia após interferir no reajuste anunciado pela estatal.

— Onde é que nós refinamos, a que preço, a que custo, eu quero o custo final — afirmou a jornalistas em evento em Macapá.

Ele disse que fará uma reunião com funcionários para perguntar como o percentual de reajuste do combustível é calculado, quanto custa um barril de petróleo que é retirado no Brasil em comparação com outros países.

Quando lançada em 2016 pela gestão de Pedro Parente, a política de preços da estatal previa reajustes diários dos combustíveis, levando em consideração a cotação internacional do petróleo, a variação do dólar e o que seria custo de importação. Sobre esse cálculo, é aplicada uma margem de lucro da companhia.

O preço do combustível, diesel ou gasolina, não considera o custo de produção da Petrobras. Após a paralisação dos caminhoneiros, em maio do ano passado, houve uma mudança na política e os reajustes deixaram de ser diários.

Em setembro, as mudanças nos preços da gasolina foram seguradas por até 15 dias. Em março deste ano, o mesmo foi anunciado para o diesel, que até o final do ano passado tinha o preço congelado por um mês — medida para contentar os caminhoneiros.

Bolsonaro afirmou ainda que é preciso cobrar não só do governo federal, mas também dos Estados o alto custo dos combustíveis.

— O ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, que é estadual) é altíssimo, tem que cobrar de governador também, não só do presidente da República — afirmou o presidente.

Deixe seu comentário:

publicidade