nsc

publicidade

Saúde 

Brusque registra primeiro caso de dengue contraído dentro da cidade em 2019

Vítima é uma mulher de 48 anos, moradora do bairro Azambuja. Ela tomou medicação e nem precisou ser hospitalizada, de acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura

04/07/2019 - 15h15 - Atualizada em: 05/07/2019 - 09h53

Compartilhe

Redação
Por Redação Santa
dengue-brusque
Agentes do Programa de Combate a Endemias de Brusque atuam com visitas domiciliares
(Foto: )

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina confirmou, no início da semana, o primeiro registro de dengue autóctone (contraído na própria cidade) em Brusque. Trata-se de uma mulher de 48 anos, moradora do bairro Azambuja.

De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura de Brusque, as investigações do Programa de Combate a Endemias apontam que o provável local da transmissão tenha sido o centro da cidade, pois não foram encontradas larvas do mosquito nas proximidades da residência da mulher, apesar de o bairro onde ela reside ter registro de larvas.

Ainda segundo o levantamento, os primeiros sintomas foram registrados no dia 6 de junho. No dia 13 do mês passado foi feita a coleta de sangue, que seguiu para análises pelo Laboratório Central (Lacen), em Florianópolis. Conforme a assessoria de comunicação da administração municipal, a mulher está fora de perigo: ela tomou medicação e não precisou ser hospitalizada. Barreiras de vigilância também foram montadas num raio próximo da casa dela.

Segundo Letícia Figueiredo, coordenadora do Programa de Combate a Endemias, o trabalho dos agentes continua, com mutirões de limpeza em cemitérios e visitas domiciliares. O envolvimento da população é fundamental no combate ao mosquito transmissor da doença.

– Estamos muito preocupados, pois, acreditamos que possa haver outros casos da doença. Estamos solicitando a toda rede de atenção básica que se faça o exame para detectar em todos os pacientes que apresentem sintomas da doença e, assim, tomarmos medidas no sentido de se evitar uma epidemia.

Em 2019, além do primeiro caso autóctone, Brusque registrou outros 57 casos suspeitos, onde 10 foram confirmados como positivo para dengue. Outros dois casos aguardam resultado. Em relação à febre chikungunya, o município teve 11 casos suspeitos e dois confirmados que contraíram a doença no Rio de Janeiro. Não houve casos suspeitos de zika vírus.

Conforme a assessoria de comunicação, Brusque apresenta 384 focos do mosquito aedes aegypti desde o início do ano. Os três bairros com o maior número de focos registrados são: Santa Rita, com 80, Centro, com 73, e Santa Terezinha, com 69.

Orientações para evitar a proliferação do mosquito:

Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;

Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

Mantenha lixeiras tampadas;

Deixe os depósitos d’água sempre vedados;

Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário.

Deixe seu comentário:

publicidade