publicidade

Segurança

Calor e piscina: fique atento para evitar afogamentos

Segundo o Corpo de Bombeiros, estima-se que ao menos sete mil pessoas são vítimas deste tipo de acidente a cada ano, no Brasil 

20/12/2018 - 17h23 - Atualizada em: 20/12/2018 - 17h59

Compartilhe

Talita
Por Talita Catie
(Foto: )

Verão e férias escolares. A dupla perfeita para buscar atividades refrescantes. Quem não vai ao litoral, aproveita nas piscinas. Mas nem tudo é diversão, é preciso cuidado para evitar acidentes. Em julho deste ano, um menino de apenas um ano quase perdeu a vida em Blumenau ao se afogar na piscina da casa do avô.

Episódios como o dele são mais comuns do que se pensa. Segundo o Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, estima-se que ao menos sete mil pessoas morrem afogadas a cada ano no Brasil. Parte destes óbitos é em ambiente residencial e envolve os pequeninos.

Dados de 2017 da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático apontam o afogamento como a segunda causa de morte de crianças entre 1 e 9 anos. Aproximadamente 51% desses casos ocorrem em piscinas e em casa.

Confira abaixo oito dicas para evitar acidentes:

- Mantenha portas de áreas de serviço e banheiros fechadas para que as crianças não acessem áreas com água reservada em tanques ou banheiras.

- Guarde recipientes como baldes e bacias de cabeça para baixo.

- Instale redes de proteção ou grades no entorno de piscinas.

- Não deixe crianças brincando sem supervisão em áreas perto de piscinas, rios ou lagos.

- Evite o uso de boias ou flutuadores, prefira colete salva-vidas.

- Não mantenha brinquedos próximos a piscina. Isto atrai crianças.

- Jamais deixe uma criança sozinha na piscina.

- Após utilizar a piscina, impeça o acesso ao espaço, isolando a área.

Primeiros-socorros:

O subtenente do Corpo de Bombeiros Militar de Blumenau, Dirceu Rodrigues, conversou ensina os procedimentos que devem ser adotados em casos de afogamento em piscinas.

Afogamento em piscinas

Primeiros-socorros

Deixe seu comentário:

publicidade