nsc

publicidade

Pílulas de Saber

Câmara hiperbárica de oxigênio pode ser esperança para quem sofre de fibromialgia

Carlos Tonussi traz as últimas descobertas na área da saúde. Fique por dentro!

04/06/2015 - 06h01

Compartilhe

Por Redação NSC

Sagol CHMR/Divulgação

Dor fantasma

A fibromialgia é uma síndrome de dor crônica que pode ser acompanhada por fadiga, comprometimento cognitivo, síndrome do intestino irritável e distúrbios do sono. Mais de 90% dos casos são em mulheres.

Esta síndrome ainda não tem causa conhecida, embora algumas vezes apareça depois de uma lesão cerebral, e seu tratamento é muito difícil. A dor na fibromialgia aparece em mais de um local no corpo ao mesmo tempo e, frequentemente, esses locais mudam de posição.

Essa característica contribuiu para se acreditar que a fibromialgia fosse uma dor psicológica. Por isso, muitos que a têm, inclusive alguns médicos, não admitem que é uma doença real. Qualquer que seja a causa, porém, um novo estudo publicado no jornal Plos One mostra que a oxigenoterapia hiperbárica pode curar a fibromialgia.

Alta pressão

Câmaras de oxigênio hiperbáricas expõem os pacientes ao oxigênio puro em pressões mais elevadas do que a atmosférica e são usadas para tratar pacientes com embolia, queimaduras, envenenamento por monóxido de carbono, doença dos mergulhadores, entre outras condições.

Essa exposição força mais oxigênio para a corrente sanguínea do paciente e, por sua vez, para o cérebro. Estudos anteriores mostraram que a oxigenoterapia hiperbárica (OHB) leva à reparação das funções cerebrais prejudicadas em quem sofreu um acidente vascular cerebral ou lesão cerebral traumática leve, mesmo anos após a lesão inicial.

Neste estudo, 48 mulheres com fibromialgia, há pelo menos dois anos, receberam 90 minutos por dia de exposição ao oxigênio puro, a duas vezes a pressão atmosférica, 5 dias por semana, durante dois meses.

Finalmente a cura?

Esse tratamento permitiu reduzir drasticamente, ou mesmo eliminar, o uso de medicamentos para a dor. O consumo de drogas pode aliviar a dor na fibromialgia, mas não cura a doença.

Porém, a OHB parece curar. Quando a fibromialgia é iniciada por uma lesão cerebral traumática, os cientistas acham que a cura será completa. No entanto, quando a síndrome é atribuída a outras causas, os pacientes provavelmente precisarão de terapia de manutenção periódica.

A incrível melhora obtida com a OHB sugere que o reparo do cérebro, e até mesmo a regeneração neural, é possível. E esta descoberta pode abrir caminho para o tratamento de outros tipos de dor crônica.

Confira todas as notícias do Pílulas do Saber

Acompanhe as notícias da Grande Florianópolis

Curta a página da Hora de Santa Catarina no Facebook

Deixe seu comentário:

publicidade