nsc
nsc

Seu Problema é Nosso

Casa que ameaçava desabar na Agronômica, em Florianópolis, começa a ser demolida

Vizinho da obra reclama que muro desabou no seu terreno, causando prejuízo de quase R$ 2 mil

28/11/2017 - 15h36 - Atualizada em: 28/11/2017 - 15h41

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

Começou a ser demolida nesta semana uma casa de dois andares construída no alto do Morro do 25, na Agronômica, em Florianópolis. O prédio, abandonado há 15 anos, causava medo aos vizinhos, pois ameaçava desabar a qualquer momento. Agora, uma escaveira de uma empresa terceirizada realiza a remoção dos escombros.

A situação foi notícia na Hora de SC em outubro. A obra de 350 metros quadrados parou ainda em fase de alvenaria. No local, deveria funcionar uma boate. Segundo laudo da Defesa Civil municipal, à época, o local ficou deteriorado e insalubre.

"Está sendo utilizado por terceiros como depósito de lixo e abrigo de pessoas em atividades clandestinas. O telhado está em ruínas, tomado por vegetação e todas as telhas estão soltas, passíveis de serem carregadas por ventos mais fortes", informou o documento.

Vizinho imediato da obra descendo a ladeira da Rua Padre Schroeder, o vigilante Maicon de Oliveira, de 34 anos, é quem mais se incomodou com a obra nesses anos todos. Segundo ele, em várias ocasiões, partes da alvenaria já caíram no terreno dele. E nem agora, que o local está sendo demolido, a dor de cabeça para.

— Caiu metade da parede no pátio da minha casa. Quebrou umas 400 telhas. Caiu concreto em cima da minha máquina de lavar, do meu freezer, da mesa.

Maicon calcula o prejuízo em cerca de R$ 2 mil. Ele diz que tentará junto à empresa terceirizada o ressarcimento desse valor. Caso contrário, tentará na prefeitura. Segundo o morador, a empresa sugeriu que ele deixasse a casa durante a remoção do prédio, mas o vigilante disse que não tinha para onde ir.

A orientação da prefeitura de Florianópolis, em casos como esse, é que o morador procure o Pró Cidadão, no Centro. O contribuinte deve entrar com processo de ressarcimento ou indenização por dano causado. Ele terá que apresentar três orçamentos e laudo técnico que comprove o dano causado. A Secretaria de Planejamento confirma que uma empresa terceirizada está realizando o serviço.

Colunistas