nsc

publicidade

Religião

Catedral de Joinville passará por grande reforma com ajuda de doações da comunidade

Campanha foi lançada no último fim de semana e espera arrecadar cerca de R$ 10 milhões nos próximos sete anos

10/08/2019 - 06h20

Compartilhe

Cláudia
Por Cláudia Morriesen
foto mostra altar da Catedral de Joinville, com destaque para os vitrais que ficam acima dele
Parte interna da igreja será a mais afetada pelas mudanças
(Foto: )

As mudanças na Catedral São Francisco Xavier já são percebidas por quem passa pelas ruas do Centro de Joinville. De longe é possível ver que um dos ícones religiosos da cidade está passando por alterações que começaram pela grande cúpula em formato de concha. Até este fim de semana, os 5.220 metros quadrados da cobertura da igreja estarão avermelhados e, nas próximas semanas, ganharão outros tons causados pela impermeabilização, até a cúpula ser pintada da cor prata. Esta é, no entanto, apenas a primeira etapa de uma revitalização muito maior que deve levar anos e modificar, principalmente, a parte interna da mais importante igreja católica de Joinville.

— A Catedral é onde está a cátedra, ou seja, é onde o Bispo tem sua cadeira. Ela é a "igreja-mãe" da diocese que, no caso de Joinville, inclui 64 paróquias e mais de 500 comunidades de 18 cidades da região — explica o padre Adenir José Ronchi, atual pároco da Catedral de Joinville.

Em abril do ano passado, já pensando nas comemorações do centenário da criação da Diocese da cidade, que será em 2027, o Bispo Dom Francisco Bach lançou a ideia e deu início às comissões de planejamento da revitalização da Catedral São Francisco Xavier. O prédio já precisava de correções pontuais para solucionar problemas de infiltração, ferrugem e desgaste na estrutura. Mas, além da manutenção predial, Dom Francisco recomendou mudanças no espaço litúrgico, que precisava ser atualizado.

Cúpula está passando por manutenção, o que a deixou com tons avermelhados
Cúpula está passando por manutenção, o que a deixou com tons avermelhados
(Foto: )

Em entrevista ao jornal A Notícia em junho, o bispo explicou que a Catedral de Joinville, na época da elaboração do projeto da construção atual, nos anos 1950, funcionava como espaço de eventos e apresentações culturais, como espetáculos de música e formaturas. Por isso, ela possui composições que não fazem mais sentido no tempo atual e que fogem dos padrões eclesiais.

— Dentro de uma igreja, o altar deve ser o ponto mais alto de todos. Mas, na Catedral, há o espaço dos coros atrás do altar que fica acima dele. Essa parte será demolida — afirma o padre Ronchi.

O projeto de revitalização da Catedral também prevê um painel novo para o altar, feito em aço e concreto, remodelação do púlpito e dos móveis do altar, mudança na localização da sacristia e um novo confessionário, além de um novo paisagismo em toda a parte interna. Os bancos, que são em estilo poltrona dos antigos teatros e cinemas, serão trocados pelos tradicionais em igrejas católicas.

Também haverá mudanças estruturais na parte do prédio onde estão as salas de administração e das aulas de catequese. A primeira parte, que já está ocorrendo, faz alterações na parte externa que são de manutenção: além da impermeabilização da cúpula, que ganhará isolamento em três camadas de membrana contínua, os famosos vitrais serão restaurados e as paredes terão novo reboco.

Campanha para arrecadar recursos

Os projetos necessários para revitalização estão em fase final de conclusão e aprovação mas, por enquanto, o valor estimado para as obras é de R$ 10 a 12 milhões. Este valor deve ser arrecadado nos próximos anos, com a reforma sendo feita simultaneamente. O objetivo é que a Catedral fique pronta um pouco antes do centenário, com as obras internas ocorrendo entre 2020 e 2026. A revitalização externa deve ser concluída ainda em 2019.

Como a igreja não pode receber recursos públicos, como projetos de patrocínio em leis de incentivo ou repasses diretos, a expectativa é realizar as obras com doações da comunidade. Uma campanha batizada de "Benfeitores" foi lançada no último fim de semana para que as pessoas interessadas em ajudar tornem-se colaboradores, com contribuições mensais. Nas missas da Catedral também haverá um momento de acolhimento para doações pontuais. O grupo responsável pela revitalização também pretende buscar apoio com os empresários de Joinville.

— A Catedral já virou um ponto turístico, as pessoas que vêm à cidade a visitam por causa dos vitrais e da arquitetura. Queremos que ela tenha mais atrativos para contemplação destes visitantes — comenta o padre Ronchi.

Leia também:

Entenda os detalhes das obras na Catedral São Francisco Xavier

Deixe seu comentário:

publicidade