nsc
    dc

    Brasileirão

    Chapecoense tenta se manter viva no clássico diante do Avaí 

    Time se mantém vivo em caso de vitória mas precisa de resultados paralelos se perder ou empatar

    21/11/2019 - 18h23

    Compartilhe

    Darci
    Por Darci Debona

    Alguns torcedores da Chapecoense ainda acreditam em permanência na Série A embora alguns sites especializados apontem que as chances de rebaixamento são de 99%. Outros temem que o time Catarinense possa ser rebaixado justamente no clássico contra o Avaí, domingo, 19h, na Ressacada.

    Se vencer o Avaí a Chapecoense vai a 28 pontos e continua na briga, pois poderia chegar a 40 pontos no final do campeonato e ainda com chances matemáticas de ultrapassar Botafogo, Ceará e Cruzeiro, que tem 36 pontos e podem no máximo chegar a 39 nesta rodada, além do Fluminense, que tem 35 e poderia chegar a 38 na rodada. Claro que todos teriam que perder nas últimas rodadas e, o Fluminense, no máximo empatar uma.

    Em caso de empate diante do Avaí dois dos adversários citados acima não poderiam vencer. Em caso de derrota é rebaixada no caso de dois clubes atingirem os seguintes resultados: empates de Botafogo e Ceará ou vitórias de Cruzeiro e Fluminense.

    O grande problema é que mesmo que a Chapecoense atinja a mesma pontuação desses clubes, perderia no número de vitórias, com exceção do Cruzeiro, que tem sete vitórias, duas a mais do que a Chapecoense. Os mineiros perdendo ou empatando seus jogos podem ser ultrapassados nesse critério.

    Caso a Chapecoense vença todos os jogos, chegando a 40 pontos, precisaria ultrapassar o CSA, que tem 29 e poderia fazer no máximo 10 pontos, além de outros dois times. O Fluminense, que tem 35, e o Cruzeiro, que tem 36, poderiam somar apenas mais quatro pontos. Se um deles passar dessa pontuação, Botafogo ou Ceará, que tem 36 pontos, poderiam somar somente mais três.

    Após a vitória diante o Ceará, por 1 a 0, na rodada passada, o atacante Everaldo disse que ainda tem esperança e que vai seguir lutando enquanto houver chances matemáticas.

    Nesta semana o jogador também deu entrevista coletiva onde falou que o atraso salarial, de sete meses no direito de imagem, acaba afetando também o grupo. Mesmo assim os jogadores tem demonstrado dedicação e o próprio Everaldo disse que tem jogado com dores no pé. Autor do gol contra o Ceará, ele chegou a 12 e se tornou o maior artilheiro do clube numa edição do Brasileirão.

    Nesta quinta-feira o grupo fez um trabalho no CT da Água Amarela. Os zagueiros Hiago e Maurício Ramos, que estavam lesionados, participaram das atividades. Um deles deve entrar na vaga de Amaral, que foi suspenso. Renato, com dores na panturrilha, foi poupado.

    Nesta sexta-feira o time treina pela manhã e, no final da tarde, viaja para Florianópolis.

    Leia também:

    Veja a tabela do Brasileirão 2019

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas