nsc
dc

publicidade

Estiagem

Cidades da Grande Florianópolis seguem com problemas pontuais de falta de água 

Situação é mais grave em Palhoça, onde abastecimento intermitente afeta maior parte da cidade

14/08/2019 - 18h44 - Atualizada em: 14/08/2019 - 22h35

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
falta de água
(Foto: )

A estiagem que já dura mais de um mês na Grande Florianópolis continua causando transtornos. Nesta quarta-feira (14), cidades da região seguem registrando problemas de abastecimento, sobretudo nas localidades mais altas.

Em Palhoça, onde o abastecimento é feito pela Samae, que compra água da Casan, os bairros Rio Grande, Barra do Aririu, Aririu da Formiga, Nova Palhoça, Ponte do Imaruim, Centro, Alto Aririu, Aririu, Bela Vista, Madri, Jardim Eldorado, Passa Vinte, São Sebastião e Caminho Novo têm tido o fornecimento de água interrompido durante as noites.

A cidade é uma das mais afetadas pelo desabastecimento. Na semana passada, o prefeito de Palhoça, Camilo Martins, decretou situação de emergência. Nesta terça-feira (13), a prefeitura contratou os serviços de um pressurizador de rede de água para conseguir bombear água para locais mais distantes e mais altos. A expectativa é que ele passe a operar até esta quinta-feira (15). Um caminhão-pipa está fornecendo água para postos de saúde e escolas.

O abastecimento também segue intermitente em Biguaçu. Moradores dos bairros Fundos, Prado, Jardim Janaína, Boa Vista e a parte mais alta do bairro Bom Viver continuavam enfrentando problemas de falta de água nesta quarta. Além disso, no Grupo Escolar Municipal (GEM) Célia Lisboa dos Santos, que fica no bairro Boa Vista, os alunos estão sendo dispensados após o recreio.

Em São José, os bairros mais afetados são Barreiros, Serraria, Potecas, Picadas Sul e Forquilhinha. De acordo com a prefeitura, os serviços públicos não foram afetados, mas a orientação é de economia.

Já em Florianópolis, os bairros mais afetados são Monte Cristo e Jardim Atlântico, no Continente, e os bairros ponta de rede, em especial, as partes mais altas, como Pantanal, Itacorubi, Córrego Grande, Trindade e Serrinha, que integram a Bacia do Itacorubi. Segundo a assessoria da prefeitura, os serviços públicos da cidade não são afetados.

Medidas da Casan

Em coletiva nesta terça-feira (13), a Casan anunciou que o problema deve ser resolvido em 15 dias. A companhia explicou que, nesse período, fará a instalação de três bombas no Rio Cubatão, em Palhoça, que devem melhorar a vazão de litros por segundo da água. Atualmente, 70% do abastecimento na região é feito a partir do Rio Vargem do Braço, cujo manancial está entre 30% e 40% abaixo do normal.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Cotidiano

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade