nsc
hora_de_sc

Clima

7 cidades do Brasil que podem sumir; entenda o motivo e veja projeção

Veja o que o aumento do nível do mar causaria a sete cidades brasileiras

19/11/2021 - 04h00

Compartilhe

Redação
Por Redação Hora
O Estádio do Maracanã é um dos locais que ficariam inacessíveis com a elevação do nível do mar\
O Estádio do Maracanã é um dos locais que ficariam inacessíveis com a elevação do nível do mar
(Foto: )

Um estudo da Climate Central sobre o impacto da mudança do clima, feito em parceria com a Universidade Princeton (Estados Unidos) e com o Instituto Potsdam de Pesquisa de Impacto do Clima (Alemanha), publicado na revista Environmental Research Letters, foi realizado com base em projeções climatológicas e mostra cidades que podem sumir.

> Compartilhe esta notícia no WhatsApp

As pesquisas mostram que, se a humanidade não parar o avanço do aquecimento global, lugares como a Estação Botafogo, no Rio de Janeiro, a Estátua da Liberdade em Nova Iorque, EUA, e a Opera House em Sydney, na Austrália, podem ficar alagados com o aumento do nível dos oceanos.

> Relembre os maiores estragos causados pelo mar em SC

Nas projeções feitas pela Climate Central, é possível ver imagens de como locais como a Estação Botafogo, no Rio de Janeiro; a Usina do Gasômetro (RS); e a Ponta da Praia, em Santos (SP), ficariam com o avanço do mar.

Antese depois de 7 cidades no Brasil que podem sumir

  • Salvador (BA)
  • Recife (PE)
  • Rio de Janeiro (RJ)
  • Porto Alegre (RS)
  • Fortaleza (CE)
  • Santos (SP)
  • São Luís (MA)

Veja, a seguir, o que o aumento de 1,5 ou 3º C faria com essas sete cidades brasileiras.

Salvador - região do Elevador Lacerda

O aumento de 1,5 ° C já faria o mar avançar sobre parte do Centro da cidade e outros bairros da Cidade Baixa. Agora, se a elevação da temperatura chegar a 3° C, toda a área onde fica o Mercado Modelo seguindo até a frente do Elevador Lacerda seria tomada por água.

Recife - região da Casa Amarela

Na imagem, é mostrado o bairro Casa Amarela, na Zona Norte de Recife. Com um aumento de 1,5° C, é possível ocorrer aumento do nível do rio Capibaribe. Aumentando 3° C, a maioria das ruas e avenidas da cidade seriam ocupadas.

Segundo relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU, publicado em agosto deste ano, Recife é a capital do Brasil mais ameaçada pelo avanço do mar. Ela está entre as 16 cidades mais vulneráveis do planeta aos efeitos das alterações no clima.

Segundo especialistas, vários aspectos fazem com que Recife seja a cidade mais afetada pelo avanço do mar, como a densidade demográfica, a geografia e, inclusive, a desigualdade social. 

Isso acontece pelo fato de a cidade estar localizada no nível do mar, já que Recife é a cidade mais baixa do Brasil. Além disso, a cidade tem uma área urbana muito próxima da planície estuarina (que está localizada em um estuário, ponto onde o rio desemboca). 

Fortaleza - região do Farol do Mucuripe

Se a temperatura aumentasse 3º C, o Farol do Mucuripe, um dos cartões-postais de Fortaleza, seria uma das únicas estruturas a se manter intocada pelas águas do oceano. Mas um aumento de 1,5° C já seria suficiente para cobrir as praias do Futuro e do Titanzinho.

Porto Alegre - região da Usina do Gasômetro

Com o aumento do nível do mar, a Usina do Gasômetro, em Porto Alegre, localizada às margens do rio Jacuí e do Lago Guaíba, também ficaria inacessível. E mesmo aumentando 1,5º C, já seria possível notar algumas mudanças na capital gaúcha.

Rio de Janeiro - região da Estação Botafogo

Com o aumento de 1,5° C na temperatura, a área da Estação Botafogo/Estação de Metrô Coca-Cola, na Zona Sul do Rio de Janeiro, seria pouco afetada. Agora, com a mais 3° C nos termômetros, todo o bairro ficaria coberto de água.

De acordo com o estudo Vulnerabilidade à elevação do nível médio do mar na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, da Coleção Estudos Cariocas, publicado em 2012, as cidades localizadas no litoral fluminense ficarão vulneráveis diante das mudanças climáticas. Uma das consequências é a possível elevação do nível médio do mar. 

Na cidade do Rio de Janeiro, há uma Região Metropolitana muito povoada, quase toda localizada em terras baixas litorâneas, com exceção de poucos lugares, como a Tijuca, Pedra Branca e a escarpa da Serra do Mar, ao norte.

Santos - Ponta da Praia

O aumento do nível do mar pode fazer com que a cidade de Santos, no litoral de São Paulo, seja completamente invadida pelas águas nos próximos anos. De acordo com a engenheira ambiental Luiza Amâncio, a situação da cidade é alarmante, pois, até 2050, é possível que os efeitos comecem a ser sentidos.

Ela também comentou que esses impactos podem começar a surgir em 2050 caso o município não comece imediatamente a tomar ações consistentes contra o aquecimento global.

São Luís 

A imagem abaixo é uma projeção de como ficaria a parte central de São Luís, na região onde está o Palácio dos Leões, a Avenida Beira Mar, o bairro da Praia Grande e o lado do São Francisco até o Jaracati.

No site Picturing Our Future, é possível selecionar pontos históricos, estádios, museus e outras construções importantes das cidades em risco no mundo.

O que essas cidades têm de diferente das outras

Existem problemas que são gerais e podem ser encontrados em cidades litorâneas do mundo inteiro, e há também os problemas regionais, que devem ser planejados e executados rapidamente, para diminuir ou minimizar os impactos dos problemas nas cidades.

O que pode acontecer no resto do mundo

Em Cuba, Dhaka, Havana, Bangladesh e Lagos, capital da Nigéria, as projeções da Climate Central mostram um cenário devastador. O aumento de 3° C na temperatura pode deixar edifícios e praças dessas cidades submersos parcial ou totalmente.

A elevação do mar também causará mudanças drásticas nos países desenvolvidos. Em Londres, por exemplo, a elevação de 1,5 °C já causaria a inundação de parte da entrada e dos jardins do Palácio de Buckingham, residência da Rainha Elizabeth II. Já uma temperatura 3 °C acima da atual deixaria o palácio inacessível.

Nos Estados Unidos, a cidade de Hoboken, no estado de Nova Jersey, região metropolitana de Nova York, ficaria, pelo menos parcialmente submersa.

Já em Sevilha, no sul da Espanha, a maior parte do centro da cidade e a Plaza de España também seriam inundadas.

O que causa a elevação do nível do mar

O aquecimento global é uma das causas da elevação do nível médio do mar no mundo todo. Isso acontece de duas maneiras:

1. As geleiras e mantos de gelo em todo o mundo estão derretendo e colocando mais água no oceano. 

2. O volume do oceano está se expandindo à medida que a água esquenta. 

3. Outra causa bem menor para o aumento do nível do mar é a diminuição na quantidade de água líquida na Terra - lagos, aquíferos, rios, reservatórios e umidade do solo. Essa mudança de água líquida da Terra para o oceano é, em grande parte, devido ao bombeamento de água subterrânea.

O nível do mar tem aumentado globalmente desde o fim da última era do gelo, mas a taxa de aumento acelerou significativamente nos últimos anos. De 1993 a 2009, a taxa de aumento do nível do mar aumentou para cerca de 3,4 milímetros por ano - quase o dobro da média do século XX.

Segundo cientistas, essa aceleração acontece devido às mudanças climáticas causadas pelo homem. Os oceanos vão se expandindo à medida que se aquecem, e as geleiras e mantos de gelo da Antártica e da Groenlândia adicionam água aos oceanos conforme eles encolhem.

Apesar dos dados preocupantes, o estudo esclarece que essas mudanças podem ocorrer daqui a muitos anos ou até séculos. No entanto, essas consequências serão diretamente determinadas pelas ações dos homens nos próximos anos.

Você sabia que, segundo projeções do IPCC, o carbono presente na atmosfera já é capaz de causar o aumento do nível do mar em cerca de 2 metros no próximo século? E que, no ano de 2150, esse número pode atingir a marca de 5 metros se nenhuma mudança significativa for feita no mundo?

> Baba Vanga: veja todas as previsões da vidente que previu a pandemia de Covid-19

Efeitos do aumento da temperatura no Brasil

De acordo com o estudo da Climate Central, algumas cidades brasileiras também podem ser afetadas pelo aumento da temperatura.

Com um litoral de mais de 7.000 quilômetros no Oceano Atlântico, o Brasil está em 17º lugar entre os mais vulneráveis na lista da organização.

Aquecimento global

O aquecimento global elevou o nível do mar global em cerca de 20 centímetros desde 1880, e a taxa de aumento está se acelerando. A elevação do mar aumenta as chances de inundações prejudiciais causadas por tempestades.

Uma análise da Climate Central mostra que, em grandes áreas dos EUA, as chances de enchentes nunca vistas ocorrerem até 2030 podem dobrar ou mais que isso.

Segundo os dados do estudo, se políticas de contenção de danos forem cumpridas, cerca de 510 milhões de pessoas que vivem nos lugares que poderão ser severamente afetados com as mudanças sofrerão as consequências. Porém, se nada for feito, o número aumentaria para 800 milhões de pessoas prejudicadas.

Os países asiáticos são os mais vulneráveis às mudanças. Bangladesh, China, Índia, Indonésia e Vietnã estariam na lista dos locais que mais irão sofrer se as ações de combate à emissão de carbono não forem implementadas.

Mar ameaça construções em Florianópolis

Você também pode querer ler

Por que a pressão ambiental da COP26 é importante para o Brasil e para SC

Governadores na COP26 tentarão reverter imagem de negacionista ambiental colada no Brasil

Brasil assinará acordo para preservação das florestas na COP26

Colunistas