nsc

publicidade

Aprendizados

Cinco lições do Startup Summit 2019 sobre empreendedorismo  

Segunda edição do evento recebeu mais de 4 mil pessoas em Florianópolis 

19/08/2019 - 10h30 - Atualizada em: 22/08/2019 - 11h36

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Cinco lições sobre empreendedorismo que aprendemos no Startup Summit 2019
(Foto: )

A segunda edição do Startup Summit, evento realizado pelo Sebrae entre 15 e 16 de agosto, levou grandes nomes do empreendedorismo e tecnologia do Brasil para o Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira, em Florianópolis (SC). Eles realizaram palestras e participaram de painéis e debates sobre o tema e compartilharam suas trajetórias, dando dicas para quem também tem ou quer abrir o próprio negócio, especialmente no segmento tecnológico.

Confira algumas das principais lições do Startup Summit

1 - Resolva um problema

O primeiro painel do Startup Summit contou com a história de Max Oliveira, cofundador e CEO da Max Milhas, na palestra “Como fazer tudo errado e dar certo”. Depois de tentar comprar uma passagem para visitar a namorada e se assustar com os preços altos, o empreendedor percebeu uma oportunidade para revolucionar o mercado aéreo.

Hoje, com mais de 1,5 milhão de usuários cadastrados e seis anos de estrada, a empresa superou a marca de 3 milhões de passagens aéreas vendidas desde a sua criação e cresce exponencialmente com os próprios recursos, se tornando um dos maiores cases de bootstrapping do país, e a prova de que, para se destacar como empresa, é preciso identificar um problema comum a um público e propor formas de resolvê-lo, deixando a vida das pessoas mais simples.

2 - Alinhe seu time desde o início

Emília Chagas, cofundadora da Growth Boulevard e CEO da Contentools, destacou a importância de ter um alinhamento entre todos os envolvidos na empresa desde o começo. A dica para as startups em estágio inicial, compostas apenas pelos fundadores, é identificar qual o "sonho grande" e definir qual será o papel de cada um no negócio. Já quando elas começam a contratar, é preciso saber quais os valores em comum, iniciar rituais de gestão e identificar lideranças.

3 - Valorize o seu cliente

Lincoln Murphy foi quem criou a cultura de sucesso do cliente — o tão conhecido customer success (CS) nas startups. Em sua palestra, mostrou como uma empresa pode atingir o crescimento exponencial colocando seu cliente no centro de todas as ações.

— Valorizar o cliente deve estar na cultura da empresa. Se você está queimando clientes, desvalorizando funcionários, eles vão sair e vão compartilhar isso com a comunidade — explicou.

Ele também reforçou a importância de pensar nos motivos que levam alguém a romper um contrato e como organizações precisam se adaptar e evoluir em conjunto com seus consumidores.

4 - Crie equipes multidisciplinares e otimizadas

O setor de tecnologia está acostumado com a metodologia de divisão de equipes por squads (times multidisciplinares e otimizados). O método que ficou famoso com o Spotify, uma das grandes empresas do setor, também é aperfeiçoado por empresas de tecnologia brasileiras.

É o caso da Cheesecake Labs, scale-up de desenvolvimento de aplicativos web e mobile. Com o crescimento desde a sua criação, em 2013, a scale-up apostou na metodologia para criar times de alta performance, com mais autonomia e com foco no desenvolvimento de lideranças.

— Conseguimos, de forma gradual, mudar o mindset da empresa nos últimos 10 meses. Estamos medindo velocidade do time, para auxiliar vendas e estimativas, adotando métricas de produto para cada squads, projeções financeiras de forma escalável, e criando líderes de tecnologia com qualidade — apontou Marcelo Gracietti, CEO da Cheesecake Labs, na palestra "Cultura ágil e escalável com criação de squads", no Startup Summit.

5 - Incentive a diversidade

Renata Henriques, Gabryella Correa, Talita Matos e Tania Gomes Luz compartilharam suas experiências e dicas para viver a diversidade no cotidiano. Talita, gerente de comunidades do Impact Hub Floripa, realçou que a diversidade está no sangue do Impact Hub e enraizada na cultura da organização. Ela recomenda que as empresas repensem seus processos seletivos e tenham metas mais claras para atrair pessoas diversas.

— A cultura das empresas tem que estar preparada para acolher a diversidade — disse.

Leia mais sobre o ecossitema de tecnologia e inovação em Santa Catarina.

Deixe seu comentário:

publicidade