nsc
an

Livre Mercado

Claudio Loetz: TST condena transportadora em Joinville

R$ 18 milhões é o valor da indenização que empresa deve pagar a empregado

25/10/2016 - 05h02

Compartilhe

Por Redação NSC

Empresa transportadora de carga de Joinville foi condenada a pagar R$ 1,8 milhão em ação trabalhista movida por um único funcionário. A Justiça, em sua instância máxima nesta área, o Tribunal Superior do Trabalho (TST), deu ganho de causa ao empregado, em reclamatória referente a cumprimento de jornada de trabalho extensiva. Há muitos outros processos, de longa duração até sair o desfecho, com sentenças contrárias às transportadoras. Algumas delas foram condenadas a pagar ao redor de R$ 1 milhão em indenizações. As informações são do presidente da Federação das Empresas de Transporte de Carga e Logística de Santa Catarina (Fetrancesc), Ari Rabaiolli, que diz mais:

- Como é inviável utilização de cartão-ponto, e o controle de jornada é necessariamente externo, às vezes isso pode prejudicar os negócios e traz insegurança jurídica.

Dirigentes da Fetrancesc vão se reunir com o ministro do TST, Ives Gandra da Silva Martins Filho, no dia 9 de novembro, em Brasília. Os empresários estão particularmente interessados em mudar dois pontos da lei trabalhista: redução de 24 meses para três meses o prazo para o trabalhador entrar com reclamatória trabalhista; e diminuição de cinco anos para dois anos no tempo que conta para o ex-empregado assegurar direitos reclamados na Justiça.

Leia as últimas notícias de Joinville e região.

Leia outras notícias de Claudio Loetz.

Fogos

A empresa Vision Show ganhou a licitação e será responsável pelo evento de fogos do Réveillon de Balneário Camboriú. O espetáculo vai durar 15 minutos.

Anúncio de projeto de evento

O núcleo de decoração da Acij quer promover um evento a exemplo do que acontece em Balneário Camboriú e Florianópolis, mostrando tendências do setor de design e decoração em todo o País. Há prospecção de locais nos bairros América, Anita Garibaldi e Bucarein. O presidente do núcleo, Antonio Cecyn, planeja realizar o evento em maio de 2017. Na mesma reunião do conselho deliberativo da Acij, ontem à noite, o advogado Marcelo Harger falou dos efeitos da lei anticorrupção para as empresas e seus executivos.

Encontro

Acontece nesta quarta-feira, dia 26, o 7º Meetup Joinville Startups. São esperados mais de cem profissionais. O encontro reunirá investidores, mentores e interessados neste campo de atividades empresariais. Lideranças de três startups joinvilenses de sucesso - Conta Azul, Meus Pedidos e Asaas - vão mostrar as dificuldades iniciais e como é possível crescer. Há um mercado reprimido a ser explorado no segmento de tecnologia, diz o coordenador do encontro, Márcio Jackson. Neste ambiente, o Sebrae nacional vai lançar, no próximo ano, um fundo de investimentos para aplicação de recursos em startups.

Na Eslováquia

A Embraco passou a concentrar variadas atividades de recursos humanos na unidade da Eslováquia. São funções que eram desenvolvidas nas plantas de Joinville (Brasil), China, México e Itália. No país europeu se situa a central de serviços da companhia multinacional brasileira. É uma ação típica ajustada à política de redução de custos. A empresa não diz quais atividades foram transferidas.

Área industrial

A Prefeitura de Guaramirim oficializa o termo de cessão de uso para a área industrial Francisco José Doubrawa. O local - com mais de 160 mil m² - terá 16 lotes, de 6 mil m² a 17 mil m² cada. Um deles destina-se à Celesc, para construir subestação. Os outros irão para licitação. A abertura das propostas dos interessados acontecerá no dia 8 de dezembro. Os vencedores poderão usufruir da área por dez anos, renováveis por mais dez. E assumirão o compromisso de construir o empreendimento, no prazo de 36 meses, em 40% do espaço. Um dos lotes está em análise técnica.

Postos fecham

Só nestes últimos quatro meses, nove postos de combustíveis fecharam em Joinville. Há 93 em funcionamento na cidade. Significa o fim de atividades de praticamente dez por cento dos estabelecimentos. Em anos anteriores, de bonança, havia 119 postos. A extinção se explica: política agressiva de preços de alguns concorrentes, combinada com desemprego e menor renda. O presidente do Sindipetro-SC, Reinaldo Francisco Geraldi, estima que no semestre a queda no consumo foi de 6% na comparação com igual período de 2015.Daí a necessidade de ter escala grande para rentabilizar bem o negócio. E como a vida é feita de oportunidades, empresário está em vias de inaugurar um posto na avenida Santos Dumont. A lembrar que a via está com obras de duplicação, o que significará maior quantidade de veículos.

Reajuste

Os sindicatos patronal e de trabalhadores dos postos de combustíveis (Sindipetro-SC) estão negociando acordo coletivo de trabalho com abrangência sobre cinco regiões do Estado. Os trabalhadores pedem reajuste de 15%; os patrões oferecem 7%. Um acerto pode acontecer em torno de 9,5%.

Colunistas