nsc

Saúde pública

Com apenas 10% de rede de coleta, Palhoça lacra ligações irregulares de esgoto na cidade

Operação foi concentrada na região balneária do município. Edital para definir empresa para coletar e tratar efluentes "está em andamento", diz auditor ambiental palhocense

23/01/2020 - 12h27

Compartilhe

Felipe
Por Felipe Reis
Rio da Madre, no Sul de Palhoça, é um dos que recebe ligações clandestinas
Rio da Madre, no Sul de Palhoça, é um dos que recebe ligações clandestinas
(Foto: )

Uma operação da prefeitura de Palhoça lacrou 50 ligações clandestinas de esgoto à rede pluvial na região Sul do município da Grande Florianópolis. A terceira fase do trabalho, executada nesta quarta-feira (22), se concentrou no balneário Pinheira, passou pela comunidade do Mar Aberto e chegou à Praia de Fora, onde novos diversos focos de poluição foram encontrados.

Segundo o auditor ambiental da prefeitura palhocense Giancarlo Philipi Zacchi, a ação é importante para notificar e combater falhas cometidas na destinação dos efluentes. Apesar dela, Palhoça tem apenas 10% de cobertura de rede de coleta a tratamento de esgoto, segundo o próprio poder executivo.

Questionado sobre a baixa cobertura de rede para a destinação correta do material, o auditor afirmou que "um edital está em andamento" mas não soube informar a etapa em que esse processo se encontra nem o prazo para a definição da empresa que construirá a rede na cidade.

- É um projeto para os próximos 30 anos - afirmou ao Direto da Redação desta quinta-feira (23).

Para lacrar as saídas irregulares de esgoto, os técnicos utilizam concreto. Nas operações futuras, a ideia é aplicar espuma expansiva - composto químico que produz resultados imediatos e tão eficientes quanto o lacre com a massa à base de cimento.

Outras operações já realizadas

Na primeira operação, realizada no dia 9 de janeiro, a força tarefa identificou e lacrou 31 pontos de esgoto clandestino no Rio Navalha, no bairro Praia de Fora. No dia 15 foram identificados quatro pontos que despejavam esgoto sem tratamento diretamente nas águas do Rio da Madre, no balneário Guarda do Embaú; no “Canal da Independência”, entre a Guarda e a praia do “Centrinho” da Pinheira; e em outro riacho, na Pinheira.

Segundo a prefeitura, essas ações integradas são coordenadas pela Fundação Cambirela do Meio Ambiente (Fcam), com participação da Polícia Militar Ambiental, Secretaria Executiva de Saneamento de Palhoça, Vigilância Sanitária do município, Secretaria Municipal de Infraestrutura e Saneamento e Secretaria Municipal de Serviços Públicos (Sesp).

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Cotidiano

Colunistas