nsc

publicidade

Catarinense 2016

Com gol polêmico, JEC consegue 2 a 1 em pleno Scarpelli, faz 100% e afunda Figueirense 

Alvinegro já vê adversários com seis pontos de diferença no returno e volta a lidar com medo do rebaixamento

12/03/2016 - 19h58 - Atualizada em: 12/03/2016 - 20h14

Compartilhe

Por Redação NSC

Figueirense e Joinville não justificaram a expectativa em relação aos seus potenciais no turno do Campeonato Catarinense. No returno as coisas melhoraram para o JEC, continuaram iguais para o Figueira.

Momento em que Bruno Aguiar cabeceia para fazer 1 a 0
Momento em que Bruno Aguiar cabeceia para fazer 1 a 0
(Foto: )

O Alvinegro começou com derrota (2 a 1 para o Brusque) e o JEC com vitória (2 a 1 sobre o Guarani). O clássico desta noite, no Scarpelli, serviu para mostrar que o JEC vem forte para lutar pelo returno e o Figueira segue em crise.

Castiel: Figueirense a vergonhosos 20 pontos da Chapecoense

Confira a tabela de classificação após a rodada

O Tricolor do Norte, em pleno Scarpelli, superou o Alvinegro por 2 a 1, com direito a primeiro gol recheado de polêmica. No geral, o time de Hemerson Maria jogou bem melhor, mais compacto e mereceu os três pontos. O Figueira reagiu tarde e não conseguiu buscar o empate.

A partida desta noite de sábado colocou à prova a capacidade de dois técnicos campeões catarinenses e que já decidiram título. Vinícius Eutrópio e Hemerson Maria tinham missões importantes: além de pontuar para ganhar moral, precisavam dos três pontos pelo fato de a Chapecoense ter vencido sua partida e chegado aos 6 pontos.

Comemoração de Bruno Aguiar
Comemoração de Bruno Aguiar
(Foto: )

No primeiro tempo, a partida estava sem chances de gol quando aos 13 minutos, o JEC abriu o placar. O lance foi muito polêmico. No cruzamento de Ratinho para área, Bruno Aguiar cabeceou e marcou.

O bandeira, antes, assinalou impedimento, sendo que a zaga do Figueira parou. O árbitro conversou com o auxiliar e comunicou que daria gol legal.A dúvida, que não pôde ser dirimida nem com replay, foi se a bola bateu em Dodô (o que anularia o impedimento) ou se partiu dos pés de Naldo até ir para Bruno Aguiar, o que configuraria o impedimento.

O Figueirense, aparentemente desestabilizado emocionalmente, praticamente assistiu ao segundo gol do JEC, aos 17 minutos. Troca de bola na intermediária alvinegra até que Naldo serviu Kadu, este de frente para Gatito, concluiu com precisão: 2 a 0.

O Figueirense, aos poucos, melhorou na partida. Aos 32 minutos, Dudu cabeceou na trave. Os jogadores do Figueira reclamaram que a bola teria entrado, mas não passou a risca do gol.

O restante da etapa foi violento, muitas faltas e três amarelos, para Dudu e Carlos Alberto, do Figueirense, e Kadu, do JEC.

Na segunda etapa, o Joinville jogou com inteligência. Voltou a ocupar espaços de meio-campo, aproveitando a necessidade de o Alvinegro buscar pelo menos um gol.

O time de Hemerson Maria correu poucos riscos e ainda ameaçou constantemente o gol de Gatito.Aos 21 minutos, Kadu levou o segundo amarelo e foi expulso.

O Figueirense, que estava nervoso e dominado na partida, passou a tentar o ataque com mais insistência, enquanto o JEC passou a viver de contra-ataques esporádicos. Aos 44 minutos, de cabeça, Ermel diminuiu para o Figueira. O time de Eutrópio ainda pressionou, mas não conseguiu o gol de empate.

FICHA TÉCNICA

FIGUEIRENSE 1

Gatito Fernández; Leandro Silva (Yago), Marquinhos (A), Nirley e Marquinhos Pedroso; Jefferson, Elicarlos e Bady; Dodô (Ermel), Carlos Alberto (A) e Dudu (A) (Gabriel)Técnico: Vinícius Eutrópio

JOINVILLE 2

Agenor; Edson Ratinho, Bruno Aguiar, Rafael Donato e Diego; Anselmo, Naldo e Kadu (V); Juninho (Mário Sérgio, A), William Paulista (Diego Felipe) e Welinton Júnior (Breno). Técnico: Hemerson Maria

Gols: Bruno Aguiar, aos 13, e Kadu, aos 17 do primeiro tempo. Ermel, aos 44 do segundo tempo.

Arbitragem: Sandro Meira Ricci (Fifa), auxliado por Eder Alexandre (CBF) e Rosnei Hoffmann Scherer (CBF)

Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis

Deixe seu comentário:

publicidade