nsc
    hora_de_sc

    Problemas estruturais

    Com risco de colapso, prédio evacuado em Palhoça permanecerá interditado 

    Análise preliminar apontou que estrutura corre risco de desabar; prefeitura montou abrigo em ginásio

    03/03/2020 - 14h05

    Compartilhe

    Por Guilherme Simon
    Prédio em Palhoça
    Prédio foi evacuado no sábado após problemas na estrutura serem constatados
    (Foto: )

    O prédio evacuado às pressas no sábado (29) em Palhoça, na Grande Florianópolis, permanecerá interditado porque corre risco de sofrer colapso estrutural, informou nesta terça-feira (3) o coordenador da Defesa Civil da cidade, Julio Germano Marcelino.

    O risco de desabamento da estrutura foi atestado durante análise preliminar realizada nesta segunda-feira (2). O primeiro laudo, do arquiteto Tony Bolzan, confirmou a possibilidade de desabamento. Segundo Tony, o prédio deve permanecer interditado até que seja submetido a obras de reforço estrutural.

    — O prédio está numa situação crítica e oferece risco aos moradores e demais no entorno — afirmou o arquiteto.

    O prédio, de três andares, construído na década de 80, fica na avenida Aniceto Zacchi, no bairro Ponte do Imaruim, tem 8 salas comercias no andar térreo e mais 26 apartamentos residenciais. Cerca de 20 famílias residem no local. Por volta das 10h de sábado, os moradores se assustaram com um barulho, provocado pelo rompimento de uma das colunas, e precisaram deixar o local.

    Nesta terça, o arquiteto Tony Bolzan detalhou que a perícia encontrou dois pontos de risco em duas colunas nos fundos da edificação – uma delas sofreu um abalo e outra uma ruptura. As causas dos rompimentos, no entanto, não foram analisadas e só serão apontadas após perícia específica. Outro laudo deve ser elaborado pela equipe de engenharia da prefeitura da cidade.

    Prefeitura monta abrigo em ginásio

    O coordenador da Defesa Civil da Palhoça, Julio Germano Marcelino, informou também que a prefeitura montou um abrigo no Ginásio Caranguejão, no Centro de Palhoça. Segundo ele, a estimativa é que cerca de 10 pessoas precisem utilizar o local.

    Desde que foram retirados do prédio, no sábado, parte dos moradores foi para casa de parentes e outra parte precisou ser abrigada provisoriamente pela prefeitura. Agora, os desabrigados serão levados para o ginásio. Julio disse ainda que a necessidade de manutenção do abrigo será reavaliada em sete dias.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas