nsc

Sem coleta

Comcap paralisa por 24h como protesto contra reforma administrativa em Florianópolis

Reforma apresentada pelo prefeito Gean Loureiro foi criticado pelos trabalhadores

18/01/2021 - 11h35

Compartilhe

Jorge
Por Jorge Jr.
Assembleia definiu a paralisação por 24h
Assembleia definiu a paralisação por 24h
(Foto: )

O trabalhadores da Comcap paralisaram as atividades por 24h a partir da manhã desta segunda-feira, 18 de janeiro, após assembleia na sede da autarquia. Os servidores entraram em consenso por conta da reforma administrativa proposto pelo prefeito Gean Loureiro, e que será votado hoje em sessão extraordinária na Câmara de Vereadores de Florianópolis. Um dos projetos corta valores recebidos por servidores através de acordos coletivos assinados nos últimos anos.

>> Receba notícias de Florianópolis e região no seu WhatsApp

Em nota, o Sintrasem, que representa a categoria, mostra descontentamento com os termos da reforma e alega a perda de benefícios. Uma das pistas da ponte Pedro Ivo Campos foi fechada no protesto.

>> Primeira vacinada contra Covid-19 em SC pode ser enfermeira de Florianópolis

- Eles também reduzem o valor do ticket alimentação, da hora extra e do auxilio creche, entre outros, mas aumentam as jornadas de trabalho de uma categoria que já é fisicamente castigada pelo trabalho pesado e insalubre. Gean mente ao dizer que quer equiparar direitos. Pelo contrário: a intenção é, mais uma vez, arrancar do serviço público e repassar aos amigos empresários, que estão de olho gordo nesse filão que é a limpeza da cidade e o serviço à população – diz trecho da nota.

Comcap na ponte
Servidores da Comcap na Ponte Pedro Ivo Campos
(Foto: )

Em entrevista ao Notícia na Manhã desta segunda-feira, o prefeito explicou o seu lado sobre a reforma que será apreciada na Câmara.

> Toneladas de lixo irregular são descartadas na frente de ponto de ônibus em Florianópolis

— Estamos alterando superprivilégios que tinham de maneira exclusiva os servidores da Comcap, passando eles a ter, esses 1.600 servidores, os mesmos direitos que possuem os mais de 11 mil servidores da prefeitura. Queremos ter o mesmo tratamento. Não podemos ter uma hora extra do servidor da prefeitura ganhando 50% e o da Comcap 150%. Nós não vamos tirar nenhum direito adquirido, não teremos redução de salário, e isso a constituição não permite, mas esses superbenefícios não condizem mais com a administração pública, vamos dar aos servidores da Comcap os mesmos direitos dos da prefeitura. Vai permitir terceirizar os serviços em uma eventualidade se for necessário. Não vamos acabar com a Comcap e nem demitir nenhum servidor, mas tudo que puder trazer economicidade para o poder público deve ser realizado – disse Gean.

Uma nova assembleia entre os servidores da Comcap será realizada na manhã de terça-feira para avaliar se a paralisação irá continuar ou se a coleta de lixo será retomada na Capital.

Colunistas