nsc
an

Amizade

Companheirismo é base dos bailarinos que se apresentam em duos no Festival de Dança de Joinville

Na Mostra Competitiva desta terça-feira, 10 duplas disputam na dança contemporânea e urbana

29/07/2014 - 03h02

Compartilhe

Por Redação NSC
Jakson Pinheiro e Gian Carlos Fronza competem pela primeira vez como uma dupla
Jakson Pinheiro e Gian Carlos Fronza competem pela primeira vez como uma dupla
(Foto: )

O palco do Centreventos Cau Hansen se agiganta ao olhar dos selecionados para a Mostra Competitiva do Festival de Dança de Joinville. Não tem como escapar: logo que a música começa todas as atenções vão em uma única direção. Quando se apresentam em dupla, a interação entre os bailarinos chama tanto a atenção quanto os movimentos coreografados. Na noite desta terça, 10 duos, dois de dança contemporânea e oito de danças urbanas, passam por essa berlinda.

>> Confira a página especial sobre o evento <<

Dividir o palco com uma só pessoa não costuma ser uma escolha ao acaso: são conexões naturais relacionadas com confiança. Jackson Pinheiro e Gian Carlos Fronza, da Cia. de Dança Cultura Urbana, de Joinville, são amigos há mais de 10 anos e, por se conhecerem bem, arriscaram concorrer, pela primeira vez, na categoria neste ano. Ambos já foram campeões de conjunto de danças urbanas pelo extinto Fúrias das Ruas.

- Além de amigos, temos um jeito parecido de dançar. Como somos bailarinos e coreógrafos, montamos um trabalho neste estilo que dominamos. A vantagem de sermos amigos é que um passa confiança para o outro - conta Jackson.

A união dos dois bailarinos resultou na concepção da coreografia Yian Yang, que compete com outros quatro duos do sênior.

- Buscamos um tema que focasse em dois lados e chegamos ao lance do positivo e negativo - explica Jackson.

A estreia do Liss Studio de Dança, de Jaraguá do Sul, na mesma categoria com a coreografia Sangue Afro, também é resultado de uma longa parceria. Francine Stein e Stela Liss faziam parte de um trio (considerado conjunto dentro dos critérios da Mostra) que precisou ser desmanchado dias antes da seleção do Festival. A terceira integrante quebrou o pé e, mesmo assim, Francine e Stela decidiram manter a inscrição.

- O duo se torna bem mais difícil porque não tem tantas possibilidades de desenhos coreográficos e é indispensável ter uma conexão bacana com o parceiro. Não adianta, é preciso um convívio a mais - avalia Stela, que há três anos pesquisa a dança afro dentro das danças urbanas.

A rodada de competições desta terça também leva ao palco grupos catarinenses no conjunto e solo masculino seniores de dança contemporânea e no conjunto júnior de danças urbanas.

O quê: 5ª noite de Mostra Competitiva.

Quando: terça-feira, às 19 horas.

Onde: Centreventos Cau Hansen (Avenida José Vieira, 315, Joinville)

Quando: os ingressos custam de R$ 16 a R$ 70. Participantes, estudantes, idosos e portadores de deficiência têm direito a meia-entrada. Vendas no Centreventos, na bilheteria móvel que circula pelos bairros (e garante o desconto de 20% para o Mostra Competitiva) e pelo www.ticketcenter.com.br

Colunistas