nsc

publicidade

Golpe militar

Confira a lista de moradores da região Norte de SC que sofreram algum tipo de repressão durante a ditadura

Levantamento é resultado de depoimentos e do trabalho da Comissão da Verdade de SC

28/03/2014 - 21h34

Compartilhe

Por Redação NSC

A lista a seguir apresenta os nomes de moradores da região Norte do Estado que sofreram algum tipo de repressão durante a ditadura. O levantamento é resultado dos depoimentos e do trabalho de pesquisa da Comissão da Verdade de Santa Catarina.

Ela não é definitiva e pode sofrer ajustes até ser enviada para a Comissão Nacional da Verdade, em Brasília. Não é possível determinar se todos os listados estão vivos ou mortos. Há casos em que as pessoas, na clandestinidade, trocaram seus nomes, fizeram documentos falsos ou passaram boa parte da vida usando nomes de guerra.

Abelardo Lopes da Silva

Estivador em São Francisco do Sul, foi perseguido e preso nos primeiros dias após o golpe, em 1964. Em sua homenagem há uma rua que leva o nome Abelardo Lopes da Silva, no bairro Jarivatuba, na zona Sul de Joinville.

Alceu Vidal Lopes

Era comerciante. Fo preso nos primeiros dias do golpe em Joinville.

Aldo Prada

Perseguido e preso em 1964. Era funcionário do Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Comerciários (IAPC). A família morava em Jaraguá do Sul.

Alfred Darcy Addison

Advogado, era o então prefeito de São Francisco do Sul, Foi perseguido e preso em abril de 1964.

Antenor Rivaldo Da Silva

Oficial administrativo, preso logo após o golpe de 19 64, em São Francisco do Sul.

Antonio de Assis

Preso logo após o golpe em Joinville.

Antonio Dias

Jornalista e professor. Foi preso em abril de 1964, em Mafra, pouco mais de um mês após o golpe, pelo seu posicionamento contrário à ditadura.

Antonio Justino*

Eletricista. Foi preso durante a Operação Barriga Verde, em 1975.

Augusto Luiz De Brito

Era um dos oficiais da Capitania dos Portos de São Francisco do Sul. Preso em 1964.

Benjamin Ferreira Gomes

Advogado, foi perseguido e preso em 1964.

Brigitte B de Souza

Presa em 1976, na Operação Barriga Verde. Foi perseguida junto com um grupo de mulheres de Joinville.

Cantidio Alves de Souza

Com um grupo de pessoas ligadas ao Porto de São Francisco do Sul, o foguista foi preso nos primeiros dias depois do golpe. Chegou a se esconder, mas não conseguiu ir para a clandestinidade.

Carlos Adauto Vieira*

Advogado e escritor, foi a primeira pessoa presa pela ditadura em Joinville em 1964. É homenageado pela passarela Charlot, na avenida Beira-rio, em frente ao Centreventos.

Cassiano da Soledade

Preso em 1964 em São Francisco do Sul.

Conrado de Mira

É considerado um dos pioneiros do sindicalismo em Joinville. Foi vereador e candidato a prefeito. Foi preso junto com outros sindicalistas logo nos primeiros dias depois do golpe.

Edegar Schatzmann*

É um dos símbolos da luta contra a ditadura em Joinville. Integrante do Partido Comunista Brasileiro (PDB), foi preso e torturado pelo menos três vezes.

Emilio Bonfant de Maria

Preso em 1964 em São Francisco do Sul.

Estevão Emiliano Couto

Estivador. Preso em 1964 em São Francisco do Sul.

Genny Caldeira

Trabalhava no Sindicato dos Arrumadores de São Francisco do Sul. Foi uma das primeiras pessoas a ser presa após o golpe de 1964 em São Francisco.

Heitor Klein de Souza Lobo

Estudante, foi preso nos primeiros dias do golpe em Joinville.

Humberto Izidoro Maia

Era assessor da Consul na época. Tinha relação com o sindicato e lutava pelos direitos dos trabalhadores. Foi preso logo nos primeiros dias após o golpe de 1964.

Ilson Rosalvo Silveira

Conferente. Preso em 1964 em São Francisco do Sul.

Irineu Ceschin

Advogado atuante na defesa de integrantes do Partido Comunista Brasileiro (PDB) de Joinville. Defendeu também quase todos os perseguidos e presos da ditadura na região. Ele próprio acabou sendo um alvo do regime. Foi preso pela Operação Barriga Verde, em 1975. A prisão foi considerada arbitrária e chamou a atenção de todo o Estado.

Ironaldo Pereira de Deus

Era irmão do presidente do Sindicato dos Arrumadores. Tinha 16 anos ao ser preso e é, possivelmente, o preso político mais jovem de Santa Catarina.

Ivan Kitto

Estudante, foi preso nos primeiros dias do golpe em Joinville.

José Cedro de Athayde

Marítimo, foi preso nos primeiros dias do golpe em São Francisco do Sul.

José Januário de Oliveira

Era arrumador no Porto de São Francisco do Sul. Foi preso em 1964.

José Pedro de Ataíde

Marítimo, foi preso nos primeiros dias do golpe em São Francisco do Sul.

José Silvério da Cunha

Operário, estava com o grupo ligado ao Porto de São Francisco do Sul quando foi preso, em 1964.

Julio Adelaido Serpa*

Era estudante e integrante do Partido Comunista Brasileiro (PDB). Também foi preso e torturado em pelo menos três momentos a partir do golpe. Após o fim da ditatura, presidiu o PCB em Joinville.

Laercio Silva

Um dos últimos casos de prisão da ditadura na região, em 1981, em Joinville.

Lenir Justino

Presa durante a Operação Barriga Verde, em 1976, em Joinville.

Linete de Oliveira Borges

Presa durante a Operação Barriga Verde, em 1976, em Joinville.

Livino João Gonçalves

Estivador e advogado, foi preso com o grupo ligado ao Porto de São Francisco do Sul em abril de 1964.

Lucia Schatzmann*

A mulher de Edegar Schatzmann foi presa na Operação Barriga Verde, em 1975. Acompanhou o marido em Curitiba e Florianópolis.

Lucindo Costa

Morador de Mafra. Era considerado um interlocutor dos comunistas no Planalto Norte. Foi preso logo nos primeiros dias do golpe de 1964 e levado para Curitiba. Morreu atropelado e foi enterrado como indigente.

Luiz Henrique da Silveira*

Foi preso logo após o golpe militar, quando ainda morava em Florianópolis e fazia direito na UFSC. Sua carreira política começou com a fundação do MDB em Joinville, em 1971. Foi deputado estadual, federal e prefeito nos anos de maior perseguição _ de 1973 até o começo da abertura política, em 1982. Teve que se explicar aos militares várias vezes por seus posicionamentos.

Luiz Eurico Tejeda Lisboa

É o único nome do Norte do Estado que foi comprovadamente assassinado pelo regime militar em 1972. Seu corpo foi enterrado com o nome falso de Nelson Bueno em um cemitério de São Paulo. O corpo foi encontrado com um tiro na cabeça no bairro da Liberdade e o laudo e exames de local da época indicaram que foi um "suicídio", tese já desmascarada. Ele nasceu em Porto União, no Planalto Norte. Sua família viajou para o Rio Grande do Sul e São Paulo.

Manoel Lucas de Quadros

Preso em 1964 em São Francisco do Sul.

Marcos Cardoso Filho

Engenheiro eletricista e professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi preso em 1975, durante a Operação Barriga Verde. É homenageado com nome de uma rua do bairro Santa Mônica, em Florianópolis.

Maria da Glória Rocha

Presa durante a Operação Barriga Verde, em 1976, em Joinville.

Maria Damásio Zeferino Domingos

Presa durante a Operação Barriga Verde em Joinville, em 1975.

Mathias Coelho Gomes

Estivador, preso logo após o golpe de 1964, em São Francisco do Sul.

Mauricio de Sena Madureira

Advogado. Foi preso no começo de abril de 1964, em Joinville.

Maury Muniz

Preso em 1964 em São Francisco do Sul.

Nelly Osmar Picolly

Dentista, foi preso logo depois do golpe, em 1964, e voltou a ser perseguido e preso em 1975, durante a Operação Barriga Verde.

Nemezio Machado Cidral

Vereador e líder do Sindicato dos Marceneiros em Mafra. Foi preso logo após o golpe.

Nízio Lopes

Perseguido e preso em 1964, logo após o golpe. Foi levado para Curitiba e Florianópolis. Era lavrador em Araquari.

Orlando Bento da Costa

Funcionário da Receita Federal, também foi preso duas vezes. A primeira logo após o golpe, em 1964 e a segunda em 1975, na Operação Barriga Verde.

Osni Rocha

Funcionário da Cipla. Foi preso em 1975 durante a Operação Barriga Verde, em Joinville.

Pedro Luy

Líder do Sindicato Mobiliário. Fazia parte do grupo de São Bento do Sul que foi preso logo após o golpe.

Pedro Oliveira Prado

Portuário, preso logo após o golpe de 1964, em São Francisco do Sul.

Pedro Picolli

Preso em 1970 em Joinville.

Pulquério de Jesus

Conferente portuário. Foi preso com o grupo de São Francisco do Sul nos primeiros dias do golpe militar.

Ricardo Martins

Preso em 1964 em São Francisco do Sul.

Romualdo Pereira de Deus

Era o presidente do Sindicato dos Arrumadores de São Francisco do Sul quando o golpe foi deflagrado. Era estivador e foi um dos primeiros presos, junto com o irmão Ironaldo.

Rosemarie Cardoso *

Assistente social, foi perseguida e presa durante a Operação Barriga Verde, em 1975.

Ruberval Estanislau de Oliveira

Estivador, preso logo após o golpe de 1964, em São Francisco do Sul.

Santino Marçal

Foi perseguido e preso em 1964, logo após o golpe. Era operário armazenador e foi preso junto com outros operários de Araquari.

Teodomiro Fagundes Lemos

Advogado. Preso em Joinville em 1964.

Turíbio de Oliveira

Estivador. Preso em 1964 em São Francisco do Sul.

Vitor Vidal dos Santos

Vereador e um dos sindicalistas mais atuantes em São Bento do Sul. Era o principal representante do Sindicato Mobiliário de Santa Catarina. Foi preso imediatamente após o golpe de 1964. Hoje dá nome a uma rua em São Bento do Sul.

Waldemar João Domingos

Metalúrgico, ligado ao sindicato da categoria e ao Partido Comunista Brasileiro (PCB) de Joinville. Foi preso em 1975, durante a operação Barriga Verde.

Zilma Gonçalves Serpa *

Mulher de Julio Serpa, perseguida desde os primeiros dias do golpe militar. Enfrentou com o marido cada uma das prisões.

* Ainda vivos

Deixe seu comentário:

publicidade