nsc
    santa

    Poder Legislativo

    Confira as prioridades dos vereadores na temporada 2019 da Câmara de Blumenau

    Após um fim de ano com votações polêmicas, movimentado como um House of Cards, vereadores voltam a se reunir na próxima semana com pautas diversificadas no roteiro

    29/01/2019 - 11h03 - Atualizada em: 29/01/2019 - 11h11

    Compartilhe

    Jean
    Por Jean Laurindo
    Mudanças na mesa diretora e na relação com governo devem dar o tom das ações na Câmara em 2019
    Mudanças na mesa diretora e na relação com governo devem dar o tom das ações na Câmara em 2019
    (Foto: )

    Se a rotina da Câmara de Vereadores de Blumenau fosse um seriado, como House of Cards, que desnuda bastidores do poder nos Estados Unidos, poderíamos dizer que ele estaria prestes a entrar em uma nova temporada. O Legislativo de Blumenau volta a se reunir em sessões para apresentar e avaliar projetos daqui a uma semana, na próxima terça-feira.

    E os episódios que estão por vir prometem ser animados. Como acontece na indústria do entretenimento, o roteiro traz mudanças. A principal delas é nos personagens. Ricardo Alba (PSL) ganhou protagonismo ao ser o deputado estadual mais bem votado na eleição do ano passado e partiu para um spin-off com mais estrelato – ele assume na sexta-feira a cadeira na Assembleia Legislativa, em Florianópolis.

    No lugar de Alba, assume o suplente Cézar Cim (PP), que apesar de ressurgir agora na trama desta legislatura, já é um velho conhecido do Legislativo blumenauense, já que foi vereador na última legislatura.

    Outra mudança é a presidência da Câmara. Depois de um processo de eleição conturbado, com sessões suspensas, idas, vindas e brigas nos bastidores, o vereador Marcelo Lanzarin (MDB) foi eleito para presidir a Casa e substitui Marcos da Rosa (DEM), que comandou os primeiros dois anos. Bruno Cunha (PSB) será o vice-presidente. Coube a ele, aliás, movimentar o hiato de episódios na Câmara com uma espécie de teaser ao anunciar o rompimento com o governo Mário Hildebrandt.

    Cargos indicados por ele na prefeitura foram exonerados pelo prefeito. Bruno credita os desentendimentos à votação contrária dele em um projeto que o governo tinha interesse – o fim do FGTS para professores ACTs, que acabou sendo aprovado – e agora promete uma postura totalmente desvinculada da situação.

    Mas o que faz o reinício das sessões da Câmara neste mês de fevereiro ser esperado como um inverno de Game of Thrones é a tensão que os últimos episódios do ano passado despertaram. Primeiro foi a votação-surpresa do FGTS dos ACTs, que teve um custo alto para a popularidade de vereadores que votaram a favor. Depois a eleição na Câmara.

    Na última sessão do ano, até sugestões de emenda no orçamento do município foram motivo para uma espécie de queda de braço entre prefeitura e vereadores, que acabaram conseguindo aprovar 19 das 20 despesas propostas.

    Para movimentar ainda mais, mudaram os protagonistas estaduais e nacionais desse cenário: em Brasília, Bolsonaro assumiu no lugar de Temer e os deputados a quem os vereadores recorriam para buscar algum trânsito ou possibilidade de recurso também mudaram – a cidade não elegeu representantes e Gilson Marques (Novo) e Rogério Peninha Mendonça (MDB) devem ser as vozes mais próximas do Vale. Em Florianópolis, Alba, Ismael dos Santos (PSD) e Ivan Naatz (PV) são os deputados blumenauenses eleitos.

    O que os vereadores pretendem discutir

    A uma semana do reinício das sessões, a reportagem do Santa ouviu os 15 vereadores para saber quais são os três assuntos que eles pretendem tratar como prioridade ao longo deste ano na Câmara. Entre os assuntos, alguns dos que mais se repetem são as visitas à comunidade, a economia de recursos públicos e as ações de combate a enxurradas como as que atingiram a cidade neste início do ano.

    A saúde e as ações ligadas a multas de trânsito e os recursos provenientes delas também ocupam espaço entre as preocupações dos legisladores (confira abaixo). Alguns preferem se restringir às clássicas áreas de maior carência da população, como saúde educação e segurança. Outros vão até mesmo além das atribuições mais clássicas de vereador e sugerem destinação de mais recursos para a saúde, embora no município esta já seja uma pasta que predomina no orçamento, com ao menos 27% do total dos recursos.

    O colunista de política do Santa, Clóvis Reis, acrescenta que, na prática, este deve ser o começo do mandato de Hildebrandt, ao menos na relação com a Câmara, e que o fator reeleição, tanto para o prefeito quanto para os vereadores, já deve influenciar no posicionamento dos assuntos que surgirem no Legislativo.

    Neste início de ano, o principal assunto que deve ser abordados na esquina da Rua XV com a Rua das Palmeiras é a reforma administrativa que o prefeito Mario Hildebrandt pretende apresentar em março.

    A atuação nesse e em outros temas polêmicos, que por enquanto ainda não são abertos ao grande público, no ano que antecede o ano de eleições municipais, pode ser decisiva para os vereadores. Não só para não ficar longe de qualquer “Framboesa de Ouro”, premiação que no mundo do audiovisual é dada aos piores do ano, mas principalmente para alcançar o objetivo de propor melhorias para a vida do blumenauense. E, quem sabe, nos últimos capítulos, conseguir fazer com que o eleitor estenda um tapete vermelho ou ao menos premie o trabalho para quem quiser concorrer a uma próxima eleição. (Colaboraram Adriano Lins, Augusto Ittner, Nathan Neumann e Talita Catie).

    Clique no ícone abaixo da foto dos vereadores e confira as prioridades de cada um deles:

    Leia mais notícias em santa.com.br

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Política

    Colunistas