nsc
    dc

    publicidade

    O futuro é agora

    Confira previsões certas e furadas do filme "De Volta para o Futuro II" sobre 2015

    No longa de 1989, Marty Mcfly e Doutor Brown viajavam no tempo

    23/01/2015 - 15h15 - Atualizada em: 26/01/2015 - 07h10

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    As chamadas em vídeo pareciam impensáveis em 1989
    As chamadas em vídeo pareciam impensáveis em 1989
    (Foto: )

    Você conhece Marty Mcfly. Se não lembrou assim de nome, pode ser que algumas pistas ajudem. O garoto fez história andando num skate voador e era amigo de um cientista de cabelos espantados que dirigia um DeLorean (aquele carro que abria as portas para cima). Tudo isso lá nos anos 1980, quando a molecada se amarrou na franquia De Volta para o Futuro, que hoje figura entre os clássicos do cinema adolescente carregando ares de cult, quem diria?

    Na história, Marty e o Doutor Brown - personagens mais importantes da carreira de Michael J. Fox e de Christopher Lloyd no cinema - viajavam no tempo a bordo do DeLorean. Na bem-sucedida sequência De Volta para o Futuro II, de 1989, a dupla vai parar no longínquo ano de 2015. Pois é, parece que o tempo passou tão rápido como nas viagens malucas do professor. O futuro chegou e o Pioneiro foi conferir quais previsões do filme dirigido por Robert Zemeckis deram certo. Algumas realmente saíram da ficção e hoje fazem parte do dia a dia, outras, a maioria na verdade, ficaram apenas no futuro imaginado pelo cinema.

    >> O que deu certo

    1. NOSTALGIA

    Quando chega em 2015, a primeira missão de Marty McFly é comparecer a um bar chamado Café Anos 80. Beat It, clássico daquela década na voz de Michael Jackson, está tocando dentro do estabelecimento. Por lá também tem videogame com um jogo antigo e uma decoração coloridíssima. Em 1989, quando o filme foi lançado, os roteiristas apostaram que os anos 1980 seriam alvo de nostalgia no futuro. Acertaram em cheio: músicas, filmes, desenhos, brinquedos e até a moda (exceto as ombreiras, calças com pregas e cabelos mullet, ainda bem!) populares na década voltaram a cair nas graças do público. Teve até alimentos voltando ao mercado, lembram do Milkybar que voltou a ser Lollo? Ok, em 2015 a nostalgia oitentista não está mais tão forte como já foi, mas a década foi muito reverenciada e certamente ainda serve de temática para alguns estabelecimentos comerciais por aí.

    2. HOLOGRAFIA

    Andando pela rua, Marty McFly vê o anúncio do filme Tubarão 19 num telão. Como um holograma assustador, o tubarão "sai" da tela para morder a cabeça do adolescente, que fica apavorado. A cena também lembra a tecnologia 3D, tão usada atualmente no cinema, em que o espectador se sente dentro do filme. Claro, a publicidade usando holografia ainda não saiu da ficção, mas não podemos deixar de lembrar que nas apresentações musicais ela têm sido até bastante exploradas. Artistas como Elvis, Michael Jackson, Renato Russo e Cazuza já reapareceram nos palcos na forma de hologramas. Estamos no caminho certo, parece.

    3. IDENTIFICAÇÃO BIOMÉTRICA

    Ok, dificilmente se vê programação biométrica em residências, ocupando o lugar das fechaduras das casas, por exemplo - como é mostrado no filme. Mas a identificação biométrica já é bem comum em muitas outras situações. Em Caxias, há consultórios médicos, locadoras de vídeo e até academias que usam a tecnologia, sem falar na biometria utilizada para registrar o ponto e para votar nas urnas eletrônicas. Ainda é um método caro, mas é provável que a identificação pelas digitais ganhe cada vez mais espaço daqui para frente.

    4. CHAMADAS DE VÍDEO

    O Marty McFly do futuro conversa com uma pessoa através de uma tela (plana, diga-se de passagem, outro acerto com relação a 2015), exatamente como nas chamadas de vídeo com áudio que conhecemos hoje em dia. Em época de Facetime, parece que evoluímos até mais do que o filme mostra.

    5. COMANDO DE VOZ

    Na casa futurística dos McFly, a televisão funciona com comando de voz e o espectador pode, inclusive, assistir a mais de um canal ao mesmo tempo. Computadores, celulares e até mesmo eletrodomésticos como as televisões já possuem essa tecnologia, amplamente utilizada. Já assistir mais de um canal simultaneamente não é tão comum _ apesar de ser possível. No entanto, o fato de acompanharmos as telas da televisão, computador e celular, muitas vezes ao mesmo tempo, poderia configurar numa versão 2015 do 2015 do filme. Deu para entender?

    >> O que deu errado

    1. CARROS VOADORES

    Parecia ótimo no filme, o trânsito fluindo muito bem com os carros passeando lá no céu (no desenho animado futurista Os Jetsons também era assim, lembra?). Além disso, o 2015 da ficção previa que os transportes poderiam pousar no solo tranquilamente, em qualquer rua. Obviamente, ainda estamos longe disso. Andamos muito mais de avião do que 1989, é verdade, mas ainda não nos livramos do trânsito terrestre.

    2. FIM DOS ADVOGADOS

    Num dos diálogos entre McFly e seu companheiro de viagem no tempo, o professor diz a seguinte frase: "A justiça age muito mais rápido agora que aboliram os advogados". Hein? Convenhamos, isso parece muito mais uma piadinha dos roteiristas com relação ao trabalho dos advogados do que uma previsão de fato. Ao contrário do filme, em pleno 2015, nos vemos às voltas com inúmeras burocracias que resistem ao tempo.

    3. JAQUETA AUTO-SECANTE

    Está aí uma ideia bem interessante, que acabaria com gastos em lavanderias e pouparia muito tempo às donas de casa. Depois de cair num lago, Marty McFly vê sua jaqueta se secar sozinha num mecanismo automático, algo impensável no nosso 2015 de verdade, onde as secadoras elétricas ainda são as mais eficientes para facilitar o trabalho.

    4. TUBARÃO 19

    A estreia anunciada no 2015 da ficção ainda não é real. O filho de Steven Spielberg (diretor do clássico Tubarão e produtor executivo do De Volta para o Futuro II), Max Spielberg até trabalha com cinema, mas nunca dirigiu longas, como o cartaz de Tubarão 19 aponta. Quem sabe num futuro mais futuro?

    5. ESTILO

    Tudo bem que a moda é meio maluca e nunca sabemos qual será a próxima tendência da estação. Porém, em tempos de "menos é mais" e composições clean, é bem difícil imaginar que gravatas duplas ou bolsos para o lado de fora da calça ficassem bem no pessoal de 2015 (ou de qualquer ano). No entanto, o famoso tênis da Nike que se fecha sozinho no pé deve ser confeccionado em breve. Mas será que alguém iria usá-lo se não tivesse aparecido no filme?

    Capítulo à parte: o maior ícone do filme De Volta para o Futuro II é, sem dúvida, o skate voador batizado de Hover Board. O sonho de qualquer moleque dos anos 1980 era dar uma voltinha num brinquedinho como aquele. Ainda hoje, ao rever o filme, é impossível não se empolgar com essa possibilidade. Com intuito de fazer o projeto virar realidade, até um crowdfunding foi realizado para arrecadar fundos. Um protótipo foi criado, e chegou a ser testado pelo famoso skatista Tony Hawk. Mesmo com muitas limitações, o lançamento é aguardado para o emblemático dia 21 de outubro de 2015 (exatamente quando se passa o filme). Será?

    Deixe seu comentário:

    publicidade