nsc
    dc

    Notícia

    Confundidas com águas-vivas em praias de SC, salpas são inofensivas

    Organismos gelatinosos não possuem células urticantes, que provocam queimaduras

    26/01/2012 - 20h20 - Atualizada em: 26/01/2012 - 20h49

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Trilha gelatinosa cobriu a areia na Praia do Campeche e no Pântano do Sul, na última semana
    Trilha gelatinosa cobriu a areia na Praia do Campeche e no Pântano do Sul, na última semana
    (Foto: )

    A grande quantidade de organismos gelatinosos que cobriram a faixa de areia na Praia do Campeche e no Pântano do Sul, na última semana, deixaram turistas e moradores preocupados.

    Geralmente confundidas com pequenas águas-vivas, as salpas não oferecem perigo. As bolinhas gelatinosas, que podem variar de milímetros até poucos centímetros, são inofensivas e não possuem células urticantes, que provocam queimaduras.

    Conforme o oceanólogo Argeu Vanz, os animais apresentam altas taxas de crescimento populacional e aparecem em maior quantidade no fim do verão e início do outono, quando ocorre a movimentação de águas profundas mais frias e ricas em nutrientes.

    A atuação de ventos, na última semana, pode ter provocado a "maré" de salpas nas praias da costa catarinense, segundo o Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia (Ciram).

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas