nsc
    dc

    Fabiano Odebrecht 

    Conheça as funções dos centros e do ecossistema de inovação

    Fazendo uma analogia, o centro de inovação é o hardware, enquanto pessoas, iniciativas, startups, ou seja, soluções são o software

    28/05/2019 - 13h18

    Compartilhe

    Por Tech SC
    Guia de Implantação dos Centros de Inovação
    (Foto: )
    Fabiano
    (Foto: )

    No artigo anterior mencionei a importante iniciativa desenvolvida pelo Governo do Estado de Santa Catarina, o Pacto pela Inovação, que tracionará iniciativas inovadoras nas mais diversas regiões de nosso estado. Cabe destacar a abrangência do pacto, que não trata apenas da entrega de um hardware, mas também um software que faz com que o primeiro funcione de maneira íntegra. Nesta analogia, o hardware são os Centros de Inovação, enquanto o software são as pessoas, as iniciativas, as startups, ou seja, as soluções.

    Para desenvolver esta rede de forma coordenada, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável (SDS) elaborou colaborativamente com parceiros estratégicos o Guia de Implantação, buscando alinhamento nas ações e nas funções entre os Centros de Inovação. O modelo começou a ser construído em 2015, com a especial participação do renomado espanhol Josep M. Piqué, reconhecido por implantar ambientes de inovação nos mais diversos cantos do mundo. Piqué apresentou o Portfólio de Funções para os Centros e Ecossistemas de Empreendedorismo e Inovação de Santa Catarina, facilitando o entendimento do conceito e do escopo do Centro de Inovação na região que estará inserido.

    Este portfólio traz as 10 Funções entendidas como essenciais a serem desempenhadas no Ecossistema e no Centro para que cumpram sua missão primordial, que é gerar e escalar negócios inovadores, sobretudo aqueles com alto potencial de crescimento e de impacto. As Funções representam os papéis que estes atores devem desempenhar em seu território a fim de que ele se torne um ambiente favorável ao desenvolvimento sistêmico de ideias, negócios, produtos, serviços, empresas, entidades, governos, pessoas e movimentos inovadores. São funções do Centro: a Governança do Ecossistema, disseminar a Informação, prover a Inovação, desenvolver Talentos, buscar Capital, Atração de Investimentos, Especialização Inteligente, criar a Conexão Internacional e auxiliar no Desenvolvimento Urbano e da Comunidade. Sendo essas, de extrema importância ao sucesso do Pacto pela Inovação, faremos uma sequência de artigos nesta coluna, apresentando uma a uma e abordando suas temáticas, garantindo assim a promoção diária de negócios inovadores

    Para que o ciclo de apoio se forme de maneira eficiente, é importante que haja um grande orquestrador e animador, analisando e planejando em conjunto o futuro do próprio do ecossistema: eis um dos papéis mais importantes do Centro de Inovação. Para gerar e escalar negócios inovadores sistemicamente é preciso preparar não apenas o Centro, mas todo o ecossistema, que dê suporte a esse processo, gerando a transformação histórica da economia regional em sintonia com todos os agentes promotores do empreendedorismo e inovação local. Desta forma, é importante que de maneira coordenada, faça-se a adoção de um sistema de mapeamento, fazendo o levantamento das entidades, empresas e startups existentes. Em seguida, é preciso fazer o levantamento de toda a infraestrutura disponível na região, além do mapeamento dos talentos (pessoas especializadas em determinadas áreas).

    À Governança do Ecossistema cabe, finalmente, avaliar periodicamente os níveis de desenvolvimento e resultados do ecossistema de empreendedorismo e inovação da região. Está no core da missão dos centros ainda facilitar e orientar o caminho do empreendedor inovador na criação e desenvolvimento do seu negócio. Ele deve ser capacitado para que otimize seu tempo na tomada decisões e conecte-se com as pessoas certas, na hora certa. Na medida em que a avaliação da maturidade for instrumentalizada por meio de software, ela poderá estar conectada com o mapeamento e gerar automaticamente um painel de controle com os indicadores que vão permitir um monitoramento ininterrupto. Assim, em um mesmo lugar, obtém-se informações de acompanhamento e assessoramento, fornecendo respostas às necessidades dos empreendedores e promovendo o desenvolvimento local através do aumento da competitividade.

    Fonte: Guia de Implantação dos Centros de Inovação: Livro II - Plano de Implantação

    *Fabiano Odebrecht é diretor executivo da Incubadora Gene de Inovação e Tecnologia.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas