nsc

publicidade

No universo das it girls

Conheça joinvilenses que são referência de estilo na cidade

Elas têm algo de especial, chamam a atenção por onde passam e servem de inspiração para outras mulheres. Elas são it girls

22/06/2013 - 04h02 - Atualizada em: 22/06/2013 - 06h17

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

Você sabe o que é uma it girl? Se sua resposta for afirmativa, nomes como Thassia Naves, Marina Ruy Barbosa e Fernanda Lima provavelmente passaram pela sua cabeça. Famosas ou anônimas, o termo define mulheres que são inspiração de estilo e comportamento para outras. Os atributos que fazem parte das it girls estão na ponta da língua das fãs que acompanham as tendências da moda pelo visual dessas garotas: ousadas, criativas, carismáticas, comunicativas, atualizadas e com personalidade marcante.

A personagem Amora Campana, da novela 'Sangue Bom', popularizou o termo ao expor seu guarda-roupa repleto de itens finos e clássicos e inspirar milhares de meninas a compor looks como os seus. Mas não é só na TV ou nas passarelas que as it girls fazem sucesso. A '+ Estilo' conta a história de três joinvilenses que estão conquistando seu espaço como referências em moda.

Criatividade para customizar

Desde criança, ela é apaixonada por moda. Incentivada por uma professora de inglês, criou em janeiro de 2010 o blog The Cherry Tale (www.thecherrytale.com) - um espaço para falar sobre as tendências das passarelas e dividir inspirações com outras garotas.

A criação da estudante Bárbara Kohls, hoje com 17 anos, tem um alcance diário que varia entre 6 mil e 8 mil visitas. Os posts mais acessados, geralmente, são os tutoriais, em forma de passo a passo, nos quais a adolescente revela outra de suas paixões: a costura.

Com orgulho, ela exibe o ateliê onde passa parte dos dias produzindo novas peças e customizando as que estavam esquecidas no guarda-roupa.

- Costurar é uma forma barata e prazerosa de criar minhas próprias roupas do jeitinho que eu quero, sem precisar esperar que os looks cheguem às lojas -, define, com a empolgação de quem realmente faz o que gosta.

As peças estilizadas e autênticas são compartilhadas no blog e fazem grande sucesso, mas a falta de tempo não permite que Bárbara crie também para vender. A estudante procura mostrar às leitoras que não é preciso ter dinheiro para estar na moda, tanto que possui várias peças de lojas de departamento e de brechós.

- Ter imaginação e criatividade importa muito mais do que o valor que você pode pagar por uma roupa.

Para economizar, além de ficar atenta às liquidações, ela sugere que as meninas pensem antecipadamente nas situações em que poderão utilizar a peça que estão comprando e na sua versatilidade - ou seja, na quantidade de combinações possíveis com aquele item.

Para Bárbara, ter estilo vai além de usar peças que estão na moda.

- Uma pessoa estilosa é aquela veste o que gosta sem se importar com opiniões alheias, ao mesmo tempo que valoriza o corpo e consegue transmitir um pouco da sua personalidade -, ensina.

No entanto, acredita que, no Brasil, ainda há um preconceito grande com qualquer estilo que fuja do padrão.

- Aqui, as pessoas reparam e criticam demais -, lamenta.

Futuramente, ela sonha em ter a própria marca de roupas e escrever para uma revista de moda. Mas, antes, deseja viajar por todos os continentes para descobrir como a moda é vista e interpretada pelas pessoas em variadas culturas. Nova York é destino certo:

- Um dos berços da moda, a cidade proporciona um intercâmbio cultural num único lugar. Tem gente do mundo inteiro, fora as sedes de várias marcas famosas que estão lá. A inspiração vem de todos os lugares.

Atendimento personalizado

Francine Schroeder, 33 anos, cresceu ouvindo pedidos de dicas de moda e elogios à forma como se veste. Para ela, que sempre gostou de incrementar o visual com a customização, o gosto pelo tema surgiu naturalmente. Há sete anos, então, abriu a Kiwi em Joinville.

O ambiente não lembra em nada uma loja tradicional. Quando criou o estabelecimento, pretendia oferecer um diferencial em estrutura e atendimento.

- Eu gostaria que os clientes se sentissem em casa, ao mesmo tempo que vissem um pouco de outros países -, explica, ao citar os provadores que imitam cabines telefônicas de Londres e uma cozinha que faz parte do cenário como exemplos.

Assim, a loja se tornou não apenas um comércio, mas um espaço de lazer.

- As pessoas vão à Kiwi para conversar, tomar café, pedir conselhos... A compra é consequência.

Com essa postura, além de fidelizar a clientela - que, em média, tem entre 25 e 40 anos -, Francine conquistou muitas amigas e admiradoras, tanto que as pessoas fazem questão de ouvir sua opinião sobre as peças que estão procurando e aproveitam para dividir suas histórias com ela.

Com excelente memória, a administradora pensa nas clientes quando viaja ao redor do mundo para conferir as tendências da moda, e muitas vezes traz itens que combinem com as roupas que elas já têm.

- Acho que sei melhor o que cada uma possui no guarda-roupa do que elas próprias -, diverte-se.

O seu estilo, que ela caracteriza como despojado, chama a atenção especialmente pela elegância. Para Francine, o mais importante é o caimento das roupas:

- Compro o que me veste bem, independente de marca ou preço.

Quando cria uma combinação, ela diz que imagina os looks para variados corpos, do manequim 34 ao 46.

- Não adianta eu sugerir só o que vestiria. Nem tudo que fica legal em uma pessoa serve para outra.

Independente disso, há um item que ela indica a todas: cinto.

- É meu acessório favorito. Dá uma boa levantada no look.

Para compor o visual, as peças não são escolhidas conforme seus sentimentos.

- É a roupa que determina o meu humor, revela.

Por isso, dificilmente Francine será vista com peças escuras.

- Acho que meu semblante fica apagado. Mas se estou com uma combinação que gosto, fico de alto-astral o dia inteiro, produzo melhor, consigo ser mais criativa.

Blog para compartilhar dicas

Ela não consegue parar quieta. A educadora física Aline Mira, 25 anos, era daquelas crianças elétricas e inventivas. Foi na infância, aliás, que teve seu primeiro contato marcante com o universo fashion. Na casa de duas das avós, ambas costureiras, acompanhava o processo de criação das peças com atenção e muito interesse.

Os retalhos que sobravam iam direto para suas pequeninas mãos ágeis, que os transformavam em roupinhas para bonecas e cachorros. Na simplicidade dessa cena familiar, a paixão foi instantânea: a moda havia ganhado Aline, que hoje ganha a vida lançando moda.

Há dois anos, criou o Juntando os Trapos (http://blogjuntandoostrapos.blogspot.com.br/). O blog começou de forma despretensiosa, mas já recebe acessos diários que variam entre 4 mil e 6 mil visitas.

- De uma brincadeira, fiz um negócio - sintetiza.

Após alguns meses de postagens, decidiu promover um evento para divulgar o site. Das cerca de 200 pessoas que apareceram, já saíram as primeiras parcerias. A edição do Jots Fashion Day de 2012 teve o público dobrado em relação ao ano anterior.

Agora, a it girl organiza a edição deste ano e contabiliza mais de 20 parcerias com lojas de roupa, calçados, acessórios e até salão de beleza.

Atualmente, Aline viaja pelas marcas divulgando seus produtos, além de testar os itens e escrever no blog sobre eles. A repercussão do seu trabalho a surpreendeu. Além de ser constantemente abordada em shoppings e baladas pelas fãs, foi reconhecida por algumas meninas em um evento do qual participou no Rio de Janeiro.

- O carinho das leitoras é incrível -, define.

Descontraída, a jovem adora chamar a atenção das pessoas para o diferente. Assim, não é incomum encontrá-la andando pelo bairro onde mora com peças excêntricas ou até mesmo de pijamas.

Seu principal ícone de estilo é a blogueira italiana Chiara Ferragni, que Aline define como original. Também gosta do jeito como se veste Miroslava Duma, ex-editora da revista russa 'Harper's Bazaar'.

- Ela consegue ser fina e descolada ao mesmo tempo.

A it girl tem um lema que procura passar às leitoras:

- Vocês não precisam ter uma carteira recheada para estarem bem vestidas.

O segredo é garimpar e ter muita paciência. Em brechós, lojas de departamento e balaios, Aline passa horas caçando peças que possa utilizar em seus looks.

- É possível, sim, encontrar muita coisa bacana - e barata, o que é ainda melhor.

Além do mais, para ela, o estilo está nos detalhes. Unhas bem feitas, pele limpa e cheirosa são essenciais.

- A pessoa pode estar sem maquiagem e com um traje simples, e, ainda assim, ser estilosa.

It girl de novela

Bonita, elegante, rica e muito famosa. Assim é Amora Campana, personagem de Sophie Charlotte na novela 'Sangue Bom' (transmitida pela RBS TV, às 19h30, de segunda a sábado).

No papel que interpreta, a atriz dá vida a uma it girl de índole duvidosa, mas que virou referência para muitas garotas brasileiras, além de objeto de desejo dos rapazes por causa de seu estilo. Cercada por luxo e glamour, Amora faz campanhas publicitárias de produtos de moda, veste apenas itens de grife e tem milhares de fãs.

No closet, chega a guardar pares de sapatos idênticos, de mesma cor e modelo, para que ninguém tenha os itens iguais aos dela. Seus modelitos são clássicos. Além disso, as madeixas da atriz foram cortadas em uma releitura de Chanel para valorizar seu rosto.

No entanto, as it girls joinvilenses condenam o comportamento mimado e arrogante da personagem. Humildade e simplicidade foram apontados por Aline, Bárbara e Francine como atributos essenciais a quem serve de referência em moda e comportamento para outras pessoas.

Você sabe o que é uma it girl? Confira as respostas da enquete feita pela + Estilo

Deixe seu comentário:

publicidade