nsc
nsc

Talentos da Comunidade

Conheça Luis Filipe, dançarino de hip hop da Vila Aparecida

Jornal Hora apresenta série com talentos das comunidades da Grande Florianópolis

02/10/2015 - 14h24 - Atualizada em: 09/10/2015 - 11h48

Compartilhe

Por Redação NSC
Luis Filipe dança hip hop na Vila Aparecida, em Florianópolis
Luis Filipe dança hip hop na Vila Aparecida, em Florianópolis
(Foto: )

Caminhando pelas ruas, vielas e ladeiras da Vila Aparecida, comunidade continental de Florianópolis, Luis Filipe Silva, 22 anos, não passa despercebido. Com o fone nos ouvidos, ele encarna um personagem de si mesmo e a rua é seu palco para fazer o que melhor sabe: dançar. O hip hop é seu estilo, e em cada movimento que surge naturalmente ou coreografado, tem a certeza de que a dança é a melhor expressão do que ele é:

- A dança mudou a minha vida, foi o modo que encontrei para mostrar ao mundo que eu existo, não sou mais um. É o meu jeito de me expressar - afirma.

No ritmo caliente: conheça Di Juan, a voz do reggaeton de Florianópolis

Desde criança, Filipe olhava para os primos mais velhos dançando em uma casa de madeira abandonada, no alto da comunidade, e queria estar entre eles. Como era pequeno e não ganhava atenção, ficava apenas observando e treinando sozinho em casa. Mas foi quando assistir ao filme "Entre nessa dança (2004)" - história de uma competição entre grupos de street dance de periferias nos Estados Unidos - que Filipe resolveu buscar o seu espaço.

RAIO X

Em 2009, aos 16 anos, entrou para o grupo de dança Alma Negra e aprendeu balé, jazz e dança contemporânea. Dois anos depois, partiu para o grupo Ghettos, de hip hop, onde está até hoje.

Com o grupo já participou de festivais de dança como o de Joinville - em que também fez apresentações solo freestyle - e voou até a Argentina, onde foram campeões sul-americanos na categoria de danças urbanas.

Movimentos urbanos

Filipe nasceu e se criou na Vila Aparecida, onde é conhecido por todos. Com os amigos do Ghetto, foi conhecendo e se interessando cada vez mais pelo movimento hip hop e a cultura da periferia, e vê na dança um espaço para que todos conheçam essa cultura:

- Quando eu entendi a essência do movimento passei a dançar melhor e vi que o hip hop não é só dança, é a vivência de cada pessoa. Muita gente pensa que a favela é só violência, tráfico de drogas, mas é muito mais do que isso. Esse é o nosso jeito de chegar no povo com as nossas palavras - diz.

Conheça Camila Natividade, a jovem do Morro da Queimada campeã brasileira de muay thai

Consciente do seu papel, Filipe já fez parte do Conselho Jovem do Centro Cultural Escrava Anastácia e participou em 2013 do Fórum Mundial de Direitos Humanos, em Brasília. Ao falar da Vila Aparecida, lamenta que o local esteja abandonado:

- Vejo que a comunidade do moro está esquecida pelos governantes, o centro comunitário tá largado, assim como outros lugares. Gostaria de fazer um projeto com as crianças, mas não consigo apoio - comenta.

Batalha por reconhecimento

Mesmo com os prêmios, viver da dança ainda não é uma realidade para o jovem. Para se manter, trabalha como auxiliar de manutenção na Casan. As noites e os fins de semana são ocupados com ensaios e aulas de dança. Mas ele sonha grande e pensa em ir além:

- A dança é minha vida, quero evoluir cada vez mais, tirar meu passaporte e ir para fora do país viver disso. Estou só esperando a hora certa chegar.

Raio X

Nome: Luis Filipe Silva

Idade: 22 anos

Comunidade: Vila Aparecida - Florianópolis

Talento: dançarino de Hip Hop

Nas redes

Face: Luis Filipe Silva

Instagram: @niggahluiss

Twitter: @niggahluis

Youtube: Luis Filipe Silva

Contato: (48) 9828 1654

Colunistas