nsc

publicidade

Emoção pura

Copa da Rússia chama atenção pela quantidade de gols marcados nos acréscimos

Em 12 dias de competição, partidas foram definidas em 14 oportunidades após o fim do tempo regulamentar

25/06/2018 - 15h33

Compartilhe

Por Redação NSC
Neymar marca gol nos acréscimos contra a Costa Rica
Neymar marca gol nos acréscimos contra a Costa Rica
(Foto: )

As partidas da Copa da Rússia têm demonstrado que, para não perder nenhuma grande emoção, o melhor é ficar de olhos grudados na TV até que soe o apito final: em 12 dias de competição, até esta segunda-feira (25), 14 gols foram marcados nos acréscimos. Quem por acaso tivesse deixado de ver as partidas quando o relógio marcasse os 45 minutos do segundo tempo, teria perdido 14% do total de 97 gols feitos até agora. De cada 10 vezes em que a bola balançou as redes, uma foi nos acréscimos.

Os minutos finais das partidas entre Irã e Portugal — que terminou em 1 a 1, classificando os portugueses em segundo no Grupo B — e Espanha e Marrocos — 2 a 2, com a Espanha em primeiro — foram especialmente emocionantes. Com o Irã ainda tendo chances de passar de fase e os espanhóis brigando pela liderança, ambas os jogos terminaram com empate decidido por um gol nos últimos minutos.

Autor do blog "O Mundo é uma Bola", o jornalista Luís Curro aponta que essa é a maior quantidade de gols registrada nos acréscimos em um início de Copa do Mundo desde 1930 — primeiro ano em que a competição foi realizada. Seus cálculos, feitos após a competição ter chegado a 32 partidas concluídas, o equivalente a metade do total, mostram que as melhores marcas anteriores foram na Alemanha, em 2006, e no Brasil, em 2014: nesses Mundiais, até a metade da competição, foram seis gols no tempo extra do segundo tempo.

Entre as outras Copas que seguem o atual formato, com 32 seleções e 64 jogos ao todo, foram marcados três gols nos acréscimos em 1998 (França) e em 2002 (Coreia/Japão), e dois gols em 2010 (África do Sul), segundo Curro.

— A Copa na Rússia é a Copa dos gols nos acréscimos — sentencia ele.

Nesta segunda, todos os quatro jogos tiveram gols marcados nos acréscimos. Além de Irã x Portugal e Espanha x Marrocos, também as partidas entre Uruguai x Rússia — que terminou com goleada uruguaia por 3 a 0 — e Arábia Saudita x Egito — com uma virada saudita por 2 a 1 que não mudou a desclassificação de ambas as seleções — reservaram emoções até os segundos finais.

O 10º dia de Copa também ilustra bem essa característica: no sábado (23), cada um dos três jogos (Bélgica x Tunísia, México x Coreia do Sul e Alemanha x Suécia) teve um gol nos acréscimos. O mais importante deles foi o do alemão Kroos sobre a Suécia, que deu a vitória por 2 a 1 aos atuais campeões do mundo. Também teve rede balançando depois de a placa de tempo extra subir na partida de abertura, entre Rússia e Arábia Saudita, e até um gol contra marcado — caso de Irã 1 x 0 Marrocos.

O Brasil também deixou sua marca: os dois gols na vitória contra a Costa Rica foram depois dos 90 minutos. As seleções brasileira e russa foram as que marcaram duas vezes cada nessa faixa de tempo.

Para o jornalista Paulo Vinícius Coelho, o PVC, a "Copa dos acréscimos" mostra o quanto os atletas de cada seleção valorizam a participação de seus países na competição: para dar o seu melhor, eles têm demonstrado empenho e determinação até o último minuto.

— Mesmo com o desgaste do segundo tempo, as viagens e a pressão pela importância das partidas, todas as seleções estão brigando por cada segundo de jogo. E os jogos mais decisivos ainda estão por vir — destaca.

Também houve gols marcados apenas um pouco antes dos acréscimos do segundo tempo: o do português Cristiano Ronaldo contra a Espanha (43 minutos), o do uruguaio Giménez contra o Egito (44 minutos), o do belga Batshuayi contra a Tunísia e o do suíço Shaqiri contra a Sérvia (ambos aos 45 minutos).

Os gols nos acréscimos na Copa da Rússia

Em parênteses, o tempo da segunda etapa em que o gol foi marcado, de acordo com a Fifa.

1º dia

Rússia 5x0 Arábia Saudita

Tcherichev (46 minutos)

Golovin (49 minutos)

2º dia

Irã 1x0 Marrocos

Bouhaddouz, contra (50 minutos)

5º dia

Inglaterra 2x1 Tunísia

Kane, da Inglaterra (46 minutos)

8º dia

Croácia 3x0 Argentina

Rakitic (46 minutos)

9º dia

Brasil 2x0 Costa Rica

Philippe Coutinho (46 minutos)

Neymar (52 minutos)

10º dia

Bélgica 5x2 Tunísia

Khazri, da Tunísia (48 minutos)

México 2x1 Coreia do Sul

Son, da Coreia (48 minutos)

Alemanha 2x1 Suécia

Kroos, da Alemanha (50 minutos)

12º dia

Uruguai 3x0 Rússia

Cavani (46 minutos)

Arábia Saudita 2x1 Egito

Al Dawsari, da Arábia Saudita (50 minutos)

Irã 1x1 Portugal

Ansarifard, do Irã (48 minutos)

Espanha 2x2 Marrocos

Aspas, da Espanha (47 minutos)

Foto: Arte DC

Deixe seu comentário:

publicidade