nsc
    dc

    PANDEMIA 

    Coronavírus: Cientistas de SC apontam ‘boom’ de casos no Estado se isolamento for amenizado

    Pesquisa liderada pelo professor Oscar Bruna-Romero e que contou com participação de engenheiros e matemáticos da UFSC mostra possível expansão da Covid-19 em SC caso quarentena seja aliviada 

    10/04/2020 - 14h14 - Atualizada em: 10/04/2020 - 17h39

    Compartilhe

    Augusto
    Por Augusto Ittner
    Em Blumenau, Parque Vila Germânica virou um grande ambulatório para casos suspeitos de coronavírus.
    Em Blumenau, Parque Vila Germânica virou um grande ambulatório para casos suspeitos de coronavírus.
    (Foto: )

    Professores e cientistas ligados à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e à Univille apresentaram nesta sexta-feira (10) uma pesquisa em que mostram um possível ‘boom’ dos casos de coronavírus em SC caso medidas de isolamento sejam afrouxadas. O material foi encaminhado ao reitor Ubaldo César Balthazar como forma de alertar à expansão da Covid-19 no Estado.

    > Em site especial, saiba tudo sobre o novo coronavírus

    O desenvolvimento do material foi liderado pelo professor Oscar Bruna-Romero, do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia da instituição, e leva em conta o crescimento na curva de casos de SC em relação ao período de alívio das restrições de convívio social. O estudo mostra que de 1º de abril em diante, quando houve relaxamento do decreto que instituiu a quarentena no Estado, o número de pacientes infectados pelo novo coronavírus disparou (veja os gráficos).

    Gráfico com a curva menos acentuada mostra casos em SC até 1º de abril em contraste às projeções internacionais.
    Gráfico com a curva menos acentuada mostra casos em SC até 1º de abril em contraste às projeções internacionais.
    (Foto: )

    Após 1º de abril, gráfico de casos ganha ascensão, tendo uma evolução semelhante à projeção pessimista.
    Após 1º de abril, gráfico de casos ganha ascensão, tendo uma evolução semelhante à projeção pessimista.
    (Foto: )

    O documento questiona indiretamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao citar que o governo de SC não deveria ceder “às falas [...] que pareceriam indicar que a situação é muito menos grave e se encontra sob controle, tendo levado assim a um grande grupo de cidadãos a desrespeitar de forma manifesta as recomendações de isolamento”.

    A pesquisa reforça, ainda, que liberar o funcionamento de setores da economia é equivocado; que deixar cada pessoa decidir como deve cuidar de si é errado; e destaca ainda que deixar as pessoas irem trabalhar e circular sem que haja vacina, remédio, ou kits suficientes para testar boa parte da população é algo “de uma irresponsabilidade injustificável aos olhos da ciência”.

    Vale destacar que nesta sexta-feira (9) o número de casos da Covid-19 em SC chegou a 693, um crescimento de 38% em relação aos índices de quinta-feira (8). No total, 78 municípios do Estado já tiveram pacientes infectados com a doença e 18 mortes foram motivadas pelo novo coronavírus.

    O alerta do professor Bruna-Romero é de que o gráfico de casos em SC tem as características países como Itália e Estados Unidos (veja abaixo) e que milhares poderão morrer em SC caso o governo não mantenha normas rígidas de isolamento horizontal.

    Características do gráfico de evolução da Covid-19 em SC se assemelham ao comportamento do gráfico em países como EUA e Itália.
    Características do gráfico de evolução da Covid-19 em SC se assemelham ao comportamento do gráfico em países como EUA e Itália.
    (Foto: )

    Por fim, os pesquisadores alertam que a liberação da retomada gradual da economia no Estado só pode ocorrer após exaustiva testagem de todos os possíveis infectados e somente àqueles que não integrem os grupos de risco. O documento ainda destaca que por conta do índice de contágio em SC nos últimos dias, não existe justificativa para a flexibilização da quarentena.

    Estado diz optar por outro modelo de estudo

    Procurado pela reportagem, o governo do Estado informou que "todas as decisões sobre as medidas de isolamento social foram anunciadas levando em conta estudos técnicos e apontamentos realizados pelos diversos profissionais que compõem a área técnica da Secretaria de Estado da Saúde". Além disso, o Estado alega trabalhar com avaliação de cenários de números de casos e ocupação de leitos ambulatoriais e de UTI em SC para tomar decisões sobre o isolamento.

    Em entrevista coletiva no fim da tarde, o secretário de Saúde de SC, Helton Zeferino, alegou que o Estado optou por um estudo da Imperial College, instituição britânica de ciência, que passou a ser implementado esta semana.

    - É interessante que a sociedade científica se una e temos alguns estudos, mas Santa Catarina elegeu o estudo da Imperial College como nossa baliza e agora passamos a ter um resultado mais prático e desenhado para o que acontece dentro do Estado - argumentou.

    O governador Carlos Moisés rebateu que o Estado não teve curva aguda, que o Estado possui cenários de até 50 mil óbitos no Estado, mas que a "responsabilidade do cidadão", ao frequentar apenas locais que obedeçam as normas de trabalho seguro, seria a forma de controlar o avanço dos casos à medida em que ocorrem liberação de atividades econômicas. (Colaborou Jean Laurindo)

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas