nsc

    Entrevista

    Coronavírus na Itália: catarinense relata clima de apreensão com disseminação da doença

    Fisioterapeuta Suelen Cunen Neres mora em Rimini, na segunda região mais afetada pela Covid-19

    19/03/2020 - 18h15 - Atualizada em: 19/03/2020 - 20h09

    Compartilhe

    Jorge
    Por Jorge Jr.
    Combate à pandemia em Milão
    Número de casos na Itália ultrapassou o da China
    (Foto: )

    A Itália é um dos países que mais tem sofrido com a pandemia do Coronavírus. Enquanto a cidade de Wuhan, na China, teve confirmado o primeiro dia sem infecção, os números na Itália seguem se multiplicando e nesta quinta-feira (19) o número de mortes por conta da doença ultrapassou o do país asiático. A fisioterapeuta catarinense Suelen Cunen Neres, 32 anos, que mora há um ano na Itália na cidade de Rimini, a segunda região mais afetada pela Covid-19, conta como está a situação naquele país.

    Em página especial, saiba tudo sobre o coronavírus

    — Aqui na Emília Romana, onde eu vivo, é a segunda região mais afetada pela Covid-19. Nós estamos no momento com mais de 4.500 casos e de ontem (quarta) pra hoje aumentou para 525 novos casos positivos. Nós estamos de quarentena, como toda a Itália, não podemos sair de casa, andar pelas ruas, tudo está fechado. O que está aberto hoje é só mercado e farmácia. A nossa vida hoje aqui está bem difícil porque estamos em isolamento total, mas é preciso. É uma determinação da Justiça que precisa ser cumprida, porque só assim a gente vai conseguir fazer que a disseminação do vírus pare — diz.

    A fisioterapeuta teve conhecimento de uma pessoa que contraiu o coronavírus e explica o momento em que ela percebeu que a epidemia de coronavírus realmente era séria.

    — Eu percebi que tinha alguma coisa errada quando o governo decidiu fechar as fronteiras regionais e colocou a minha região como "zona rossa", que é uma região vermelha. Aí eu vi que as coisas começaram a ficar um pouco mais sérias e não era apenas uma gripe comum.

    Suelen está preocupada com a família em Monte Carlo (SC)
    Suelen está preocupada com a família em Monte Carlo (SC)
    (Foto: )

    Outra preocupação de Suelen é quanto à família, que mora aqui em Santa Catarina no município de Monte Carlo, no Meio-Oeste, para que cumpram todos os protocolos pedidos e se mantenham informados sobre o coronavírus.

    Por estar em um país que está vivendo com uma alta mortalidade de pessoas por conta do coronavírus, ela reforça as dicas que as autoridades daquele país e do Brasil também fizeram.

    — É bem difícil estar longe da família em um momento como esse, mas eu tento orientá-los para que não caíam em fake news, que saibam que eu estou bem, segura, em quarentena me cuidando e saudável, além de que não sou um vetor para contaminar mais pessoas. Oriento para que eles façam a parte deles e que não vivam o que eu estou vivendo aqui. Para que meus avós, que são o grupo de risco, não tenham que viver o que eu estou vendo os idosos viverem aqui — relata.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas